A nova VW Kombi elétrica: um ícone atualizado!

ID.Buzz e ID.Buzz Cargo chegam para inovar o segmento do transporte e ampliam a diversidade da família de modelos totalmente movidos a bateria da marca alemã

A nova VW Kombi elétrica: um ícone atualizado!

Em 8 de março de 1950, a VW Kombi chegava às ruas da Alemanha, inaugurando uma nova era mundial para o transporte de passageiros e de mercadorias. O nome da perua feita sobre a estrutura e mecânica do Fusca veio do diminutivo do termo em alemão Kombinationsfahrzeug que, traduzido para o português, significa “veículo combinado”.

Um dia depois do icônico modelo completar 72 anos de estrada – e de inigualável história -, o Grupo Volkswagen apresentou oficialmente, nesta quarta-feira (9), os novos ID. Buzz e ID. Buzz Cargo, primeira linha de van e veículo multiuso 100% elétrica da Europa.

Dessa forma, a Volkswagen amplia a diversidade da família ID. (Intelligent Design), formada por modelos dos mais variados segmentos movidos unicamente a bateria e que inclui hatches, SUVs, peruas e até um buggy.

O ID. Buzz e o ID. Buzz Cargo se baseiam na primeira geração do modelo original, a Kombi Transporter Type 1 (T1), e resgatam um dos designs automotivos mais emblemáticos para a era da mobilidade elétrica.

O veículo vem com a mais recente plataforma eletrônica embarcada e estabelece novos padrões em seu segmento com novíssimos sistemas e funções para segurança, conforto e recarga de energia. Segundo a fabricante, o ID. Buzz também é neutro em emissões de carbono durante o ciclo de vida, desde a fabricação até o uso diário.

Produzidas pela Volkswagen Commercial Vehicles em Hannover, na Alemanha, as novas versões que substituem a Kombi que conhecemos chegarão ao mercado, inicialmente, em alguns países europeus em setembro deste ano. As pré-vendas devem começar em maio.

As unidades europeias serão equipadas com uma bateria de 77 kWh. Ela fornece corrente para o motor elétrico de 204 cv, que movimenta o eixo traseiro, mantendo a tração tradicional. A potência de recarga, utilizando corrente alternada (AC) é de 11 kW.

Paralelamente, por meio de uma tomada CCS (Combined Charge System, ou sistema de recarga combinado), formada por dois conectores múltiplos unidos numa só peça, que permite tanto a recarga rápida em corrente contínua (DC), quanto a recarga lenta ou rápida em corrente alternada (CA). Ligada a uma estação de carga rápida de corrente contínua, a potência de recarga aumenta para até 170 kW. Com isso, o nível da bateria sobe de 5% para 80% em cerca de 30 minutos, assegura a fabricante.

Como acontece com todos os modelos da família ID., os novos ID. Buzz e ID. Buzz Cargo são montados sobre a plataforma modular elétrica (MEB), desenvolvida pela própria Volkswagen. Trata-se da primeira estrutura escalável de grande produção no mundo para carros totalmente elétricos, proporcionando a base para diferentes modelos e segmentos, disponíveis para os departamentos de engenharia de todas as marcas do Grupo VW, onde estão incluídas Audi, Porsche, Seat e Skoda, para citar apenas as de produção em grande volume.

Para a Volkswagen Commercial Vehicles, o ID. Buzz é um importante elemento de construção para reduzir continuamente as emissões em todo o seu portfólio de produtos. Esse conceito é ressaltado pela relação entre o comprimento de 4,71 m e a distância entreeixos de 2,98 m, o que resulta em grande espaço útil compactado num só veículo.

Desde o modelo original (T1), de 1950, a forma da Kombi sempre seguiu a função. Esse princípio central da construção automotiva também se aplica ao design do ID. Buzz. A equipe de design criou uma conexão direta com o desenho clássico. O ID. Buzz tem balanços (distância entre o centro da roda e a extremidade mais próxima da carroceria) incrivelmente curtos, garantindo tudo o que é importante para a segurança e tecnologia.

“Na Kombi T1, você fica sentado praticamente em cima do eixo – não há um balanço dianteiro. Tais proporções é que tornam o ID. Buzz tão único”, diz Jozef Kaba, chefe de Design da marca Volkswagen. Na nova versão, o inconfundível desenho externo, simples e limpo, também é acompanhado por uma aerodinâmica excepcional: o ID. Buzz tem coeficiente de arrasto (Cx ou Cd) de apenas 0,285, enquanto o ID. Buzz Cargo apresenta 0,29. Isso reduz o consumo de energia, o que resulta em maior autonomia.

Assim, refletida no icônico design externo do ID. Buzz e do ID. Buzz Cargo, está a história de uma das linhas de vans mais bem sucedidas, que vai do “Milagre Econômico” alemão do período pós Segunda Guerra Mundial até o presente, passando pelo lendário Festival de Woodstock, em 1969, nos Estados Unidos, quando a Kombi ganhou a fama de “Hippie Bus”, tornando-se um símbolo do maior evento musical e da contracultura de todos os tempos.

As duas versões do ID. Buzz oferecem espaço interno excepcionalmente grande para sua proposta de veículo compacto. Com isso, os ocupantes têm um ambiente digno de uma sala de estar: cinco pessoas desfrutam de amplo espaço para viajar e para acomodar suas bagagens, dispondo de até 1.121 litros de capacidade no porta-malas). Se a segunda fileira de bancos for rebatida, o volume parae carga sobe para até 2.205 litros. Configurações com seis e sete lugares e distância entreeixos maior serão lançadas posteriormente.

Enquanto isso, no ID. Buzz Cargo, três bancos na dianteira (alternativamente dois) e uma divisória fixa separando o espaço de carga são itens diferenciados da configuração. O furgão com emissão zero pode levar dois pallets de tamanho padrão na parte traseira.

Ambos os modelos do ID. Buzz também foram concebidos com uma grande atenção aos detalhes. Um pequeno exemplo disso, entre outros, é a silhueta estilizada do modelo, que lembra a T1, estampada nas laterais e painéis dos bancos da versão com cinco lugares.

Ao mesmo tempo, o uso de um alto percentual de materiais reciclados e a não-utilização de couro no interior do veículo completam a estratégia sustentável – ou “vegana” – que a Volkswagen implementa com o ID. Buzz e o ID. Buzz Cargo.

As tecnologias de assistência à condução dos dois novos membros da família ID. proporcionam facilidade de condução e segurança, como, por exemplo, o sistema de alerta local Car2X, que se baseia nos sinais vindos de outros veículos e da infraestrutura de transporte fixa para detectar perigos em tempo real.

Outros itens presentes são o Front Assist (para manter a distância para o veículo da frente) e Lane Assist (que centraliza autonomamente o veículo na faixa de rolamento).

Fora isso, estão a caminho novas funções de assistência, como o Travel Assist com Swarm data, que facilita a condução parcialmente autônoma em toda a faixa de velocidade e, pela primeira vez, a mudança de faixa automática na estrada.

Outra novidade é a função de memória para estacionamento autônomo em um ambiente já arquivado na memória digital do veículo.  As atualizações dos sistemas de assistência à condução serão feitas por meio da tecnologia Over-the-Air (sem fio), enviadas diretamente da fábrica para o veículo, através da internet – procedimento semelhante ao dos smartphones.

Por fim, vale lembrar que o ID. Buzz não é a primeira versão da Kombi com propulsão elétrica. Em 1972, a Volkswagen já mostrava, na Hannover Trade Fair, um modelo de segunda geração (T2) impulsionada por um motor totalmente a eletricidade também montado na parte traseira.

O alcance máximo de 85 km, porém, mostrava que a tecnologia de baterias desse projeto de curta duração ainda estava muito longe de ser adequada para o uso prático.

Contudo, 50 anos depois, graças à evolução tecnológica e novos materiais, essa limitação foi totalmente vencida e ficou para trás, tornando o sonho da Kombi 100% elétrica uma realidade.

Fonte: Volkswagen do Brasil, Wikipedia I Edição: Fábio Ometto I Imagens: Divulgação