Mini completa 20 anos no segmento premium

Resplandecente modelo amarelo apelidado de ‘Sunny’ foi escolhido para simbolizar renascimento da icônica marca inglesa, que passava fazer parte do Grupo BMW

Mini completa 20 anos no segmento premium

A tradicional fabricante de automóveis britânica Mini está comemorando um aniversário histórico. Há 20 anos a marca era relançada no evento Mondial de l’Automobile, em Paris, e apresentada pela primeira vez como integrante do BMW Group.

Essa história de sucesso teve início com a apresentação dos modelos Mini One e Mini Cooper, um sucessor do Mini clássico (que deixava de ser produzido depois de 41 anos) e que iniciou uma nova revolução no segmento dos veículos compactos premium. Seu conceito moderno e o desenvolvimento contínuo oferecem uma integração singular entre diversão ao dirigir, eficiência, conforto, segurança e conectividade. E tudo isso disponível em grande variedade de modelos e versões.

Mini Cooper “Sunny”

O Mini Cooper que melhor representa essa retomada da trajetória da marca no início do século 21 é o modelo que deixou a linha de produção em Oxford, na Inglaterra, em outubro de 2001 e ficou conhecido por uma característica presente em poucas de suas unidades: a pintura inteiramente na cor amarela. Para os britânicos, acostumados a viver sob o céu cinzento e, por isso, sempre ansiosos por qualquer sinal do calor e brilho intensos do astro-rei, o apelido não poderia ser outro: Sunny – ou, o “ensolarado”.

No primeiro ano de vendas do moderno Mini na Alemanha, apenas um e cada quinze veículos era produzido nesta cor. A combinação com o teto e as capas de retrovisores externos na cor preta era ainda mais rara.

Mini Cooper “Sunny”

Segundo a marca, esta segunda geração do Mini encantou motoristas de todo o mundo, entre outros atributos, por seu manuseio ágil. Até os dias de hoje, o Sunny não deixa dúvidas de que o Mini foi projetado para uma condução esportiva.

O motor de 116 cavalos do MINI Cooper também oferece uma capacidade de aceleração impressionante. Vinte anos atrás isso também impressionou John Cooper – engenhoso designer de carros esportivos que havia anteriormente pavimentado o caminho para o Mini clássico conquistar as pistas de corrida. “O Mini Cooper coloca um sorriso em seu rosto”, comentou ele após seu primeiro test drive no modelo que levava seu nome.

Encontro de gerações do Mini Cooper

Os princípios elementares de design da primeira geração foram retomados na nova edição, agora produzida já sob a gestão do BMW Group, com tração dianteira e o motor de quatro cilindros montado transversalmente na frente.

No entanto, a diversão ao dirigir passou a ser entregue por uma suspensão dianteira MacPherson (com semieixos do mesmo comprimento), eixo traseiro multi-link, freios a disco nas quatro rodas e sistema de frenagem incluindo controle de freio em curva e distribuição eletrônica de força de frenagem.

Mini Cooper S

Desde o início, várias opções de design eram oferecidas priorizando a individualidade, um componente-chave para a marca, de acordo com a Mini. Diversidade e visual premium no interior estavam disponíveis por meio de ampla gama de itens como bancos, revestimento interno, acabamentos e volantes; além de itens como controle de temperatura automático, aquecimento de bancos, teto solar panorâmico e uma variedade de opções de cores e acabamentos para o teto.

Em 2003, a segunda geração marcou a introdução de um motor a combustão movido a diesel e o ano seguinte registrou a chegada do Mini Cabrio conversível. A diversidade se tornou ainda maior a partir da terceira geração lançada em 2006 quando Mini Clubman, Mini Coupé e Mini Roadster juntaram-se à gama. Outros consumidores foram conquistados na sequência com a quarta geração dos modelos, que trouxe ao mercado o Mini 5 Portas.

Mini Cooper 5 Portas

Ao longo destes 20 anos, o Mini tornou-se mais maduro, mas sua personalidade permanece incomparável. O próximo estágio evolutivo da marca está presente no Mini Cooper SE, o primeiro modelo totalmente elétrico da marca, e que carrega consigo traços do “Sunny”, especialmente na sua tonalidade.

Fonte: Mini do Brasil I Edição: Fábio Ometto I Imagens: Divulgação