Stock Car dá largada para nova fase

Categoria inicia sua 43ª temporada mais vibrante do que nunca, com mudanças no formato das corridas, recorde de participantes e estreia de nomes de peso no grid

Stock Car dá largada para nova fase

Enfim, a espera acabou. O “Brasileirão” da velocidade de 2021 dá a largada neste domingo (25), no Circuito Internacional Ayrton Senna, em Goiânia, com a primeira etapa da Stock Car. Depois de comemorar 42 anos de história, na última quinta-feira (22), a principal categoria do automobilismo chega à sua 43ª temporada ininterrupta mais saudável e competitiva do que nunca. E cheia de novidades, dentro e fora da pista.

Mantendo integralmente seu exigente protocolo de segurança sanitária adotado desde o ano passado em virtude da pandemia da Covid-19, a Vicar, organizadora da Stock Car, promoveu uma série de importantes ajustes no evento, que vão desde a mudança da transmissão em canal aberto para a TV Band (deixando a Globo, depois de duas décadas), até a reformulação no formato das etapas, ampliação do grid e incluindo, até, a revitalização da identidade da categoria principal, que passa a ser chamada de Stock Car Pro Series.

Stock Car 2021 abre a temporada em Goiânia

Esta avalanche de novidades dá sequência à mudança implementada já desde a temporada de 2020, quando a Stock Car introduziu os novos carros, deixando de lado os chassis tubulares (adotados desde 2000), retomando o uso dos monoblocos produzido em série pelas montadoras, como previa o conceito original da categoria criada em 1979 – daí o nome Stock Car, ou carros de estoque, em português. A temporada do ano passado também marcou a entrada da Toyota na Stock Car, que colocou o seu sedã médio Corolla para medir forças com o Chevrolet Cruze, estendendo a rivalidade de mercado para dentro das pistas.

Antes de mais nada, vale lembrar que em 2020 a Stock Car adotou um rígido padrão de segurança sanitária, que foi seguido em todas as etapas e cujo modelo acabou sendo adotado por competições em todo o país.

Equipes reduziram ao mínimo o número de profissionais nos boxes

O modelo de protocolo da Stock Car exige testagem de todos os envolvidos no evento no padrão RT-PCR, considerado o mais preciso indicador de contaminação de Covid-19. Ao chegarem ao autódromo, todos os participantes passam por uma barreira sanitária, onde são conferidos os resultados dos testes e é aferida a temperatura corporal. Em todo o perímetro do circuito, é obrigatório o uso de máscaras e há totens para aplicação de álcool gel distribuídos em todos os ambientes e nas áreas externas.

Os eventos da categoria são realizados sem a presença de público, imprensa, patrocinadores e convidados, acessando o autódromo apenas os profissionais indispensáveis para a realização das corridas. As equipes têm seu número de membros reduzido, visando evitar aglomeração nas áreas de serviço, e não é permitido o trânsito dos colaboradores pelos boxes de outros times, além de ser proibida a circulação pelas cidades onde acontecem as provas.  
Ainda de acordo com a Vicar, qualquer aglomeração pode ser punida com a exclusão do evento, enquanto reuniões e briefings com a direção de provas são realizados de forma virtual.

Temporada do ano passado marcou o retorno dos monoblocos de fábrica à categoria

Feitas essas ressalvas, vamos às novidades da Stock Car 2021. A principal delas se refere diretamente ao formato da competição, que passa a adotar o formato de duas corridas seguidas, conhecido como nonstop (sem parada) em cada uma das 12 etapas, inédito na categoria, mas já adotado em outras modalidades do automobilismo, incluindo a Fórmula Truck, o antigo campeonato brasileiro de caminhões. Assim, a primeira prova da Stock Car terá 25 minutos e, sem a parada dos carros no grid, os pilotos farão uma volta de realinhamento, com inversão dos dez primeiros colocados.

A seguir, a direção de provas dará a largada para os 20 minutos da corrida 2, em uma sequência que promete promover o mais puro estilo sprint, com pilotos e carros em regime máximo de desempenho em todas as voltas. Com 12 etapas previstas para 2021, a Stock Car somará então 24 corridas no ano – contra 18 no ano passado.

Novo formato terá duas corridas seguidas, sem intervalo e com inversão dos dez primeiros

As duas corridas de cada etapa terão pontuação individual (veja os detalhes abaixo). Com isso, se em 2020 a temporada já foi uma das mais espetaculares da história, com 13 vencedores em 18 largadas, e grids com mais de 20 carros em menos de meio segundo, agora a Stock Car promete um ano ainda mais radical com as modificações adotadas para este ano. Confira abaixo as outras novidades do regulamento da Stock Car:

Etapas: serão ao todo 12 etapas no ano, mas distribuídas em dez eventos. Dez etapas serão realizadas no domingo e duas acontecerão aos sábados, em datas e locais a definir.

Como já descrito acima, cada etapa será formada por uma corrida de 25 e outra de 20 minutos, sem a parada dos carros entre uma e outra, com intervalo apenas para uma volta de realinhamento.

Pole position passará a premiar com dois pontos extras

Pole position: largar na pole agora concederá dois pontos ao melhor piloto. A formação de largada da segunda prova das etapas será feita pelo resultado da corrida 1, mas com os dez primeiros invertendo a posição durante a volta de realinhamento entre as duas provas.

Pit stop: antes feito nas duas provas, agora será somente na corrida 01 da etapa.

Fan push: sucesso desde a sua implantação, as regras permanecem iguais.

Provas terão duas pontuações independentes, para as corridas 1 e 2

Pontuação: cada uma das 24 corridas de 2021 registrará pontos individualmente, no mesmo sistema de 2020. A primeira prova terá pontuação maior, iniciando com 30 pontos para o vencedor, 26 para o segundo e 22 para o terceiro colocado, chegando ao 20º classificado, que ganhará um ponto. Com duração mais curta, a prova complementar dá ao vencedor 24 pontos, com 20 para o segundo e 18 para o terceiro colocado, também chegando ao 20º classificado com um ponto. A pole da corrida 1 valerá dois pontos extras.

Descartes: a Stock estreou em 2020 o descarte dos três piores resultados. Agora será permitido descartar quatro resultados, oferecendo ainda mais oportunidades de tirar da conta situações imprevistas ou injustas, como acidentes ou furos de pneu.

Distribuição de lastros também foi alterada e agora vai até o sexto colocado

Lastro: a partir de agora o lastro de sucesso chegará até o sexto colocado – em 2020, o procedimento ia apenas até o quinto melhor posicionado no campeonato. A distribuição é esta: 30, 25, 20, 15, 10 e 5 kg.

Todos os carros da Stock Car 2021 perfilados em Goiânia

Além disso, a Stock Car Pro Series iniciará a temporada 2021 com lotação máxima atingindo o limite de 32 participantes permitido pelo regulamento. E não foi apenas em quantidade que o grid da categoria cresceu.

A altura do sarrafo da competitividade também subiu um pouco mais, com a chegada em definitivo do ex-piloto de Fórmula 1 Felipe Massa, e do campeão da F-Indy e da 500 Milhas de Indianápolis Tony Kanaan, que se somam aos nomes já consagrado da Stock Car, como Rubens Barrichello, Ricardo Zonta, Thiago Camilo, Cacá Bueno, Daniel Serra e Ricardo Maurício, entre muitos outros.

Cacá Bueno cravou a pole position, a apenas 0s005 à frente de Daniel Serra

Uma amostra do que será a disputa pelo título deste ano já foi dada na tarde deste sábado, ao final do treino de classificação, quando o resultado da cronometragem indicou que 28 dos 32 carros se classificaram dentro do intervalo de menos de um segundo.

Fora isso, a diferença entre o pole-position Cacá Bueno, que cravou 1min26s863, e Daniel Serra, que largará ao seu lado na primeira fila, foi de apenas 5 milésimos de segundo (0s005).

Os estreantes Massa e Kanaan vão largar da 23ª e 24ª posições, respectivamente. A última posição ficou para Nelsinho Piquet, que enfrentou problemas com o carro de sua nova equipe, a MX Piquet Sports, e não registrou tempo no treino de classificação.

Grid para a temporada de 2021 contará com “lotação máxima” de 32 carros

A primeira etapa da temporada 2021 da Stock Car acontece neste domingo, 25, às 15h, e terá transmissão exclusiva da Band na TV aberta e também a opção de assistir online pelo Bandplay e no band.com.br.

A cobertura da nova casa conta com uma equipe experiente e de primeira linha, com narração de Luc Monteiro, comentários de Reginaldo Leme e Felipe Giaffone e reportagem de Celso Miranda.

Confira o grid de largada para a abertura da temporada da Stock Car Pro Series:

1º – Cacá Bueno (Crown Racing/Chevrolet Cruze) – 1min26s863
2º – Daniel Serra (Eurofarma RC/Chevrolet Cruze) – 1min26s868
3º – Ricardo Maurício (Eurofarma RC/Chevrolet Cruze) – 1min26s903
4º – Allam Khodair (Blau Motorsport/Chevrolet Cruze) – 1min26s915
5º – Ricardo Zonta (RCM/Toyota Corolla) – 1min27s023
6º – Bruno Baptista (RCM/Toyota Corolla) – 1min27s088
7º – Cesar Ramos (Ipiranga Racing/Toyota Corolla) – 1min27s096
8º – Gaetano di Mauro (KTF Racing/Chevrolet Cruze) – 1min27s171
9º – Rafael Suzuki (Full Time Bassani/Toyota Corolla) – 1min27s212
10º – Gabriel Casagrande (A. Mattheis-Vogel/Chevrolet Cruze) – 1min27s219
11º – Diego Nunes (Blau Motorsport/Chevrolet Cruze) – 1min27s222
12º – Guilherme Salas (KTF Sports/Chevrolet Cruze) – 1min27s270
13º – Thiago Camilo (Ipiranga Racing/Toyota Corolla) – 1min27s295
14º – Rubens Barrichello (Full Time Sports/Toyota Corolla) – 1min27s421
15º – Denis Navarro (Cavaleiro Sports/Chevrolet Cruze) – 1min27s457
16º – Lucas Foresti (KTF Sports/Chevrolet Cruze) – 1min27s348
17º – Julio Campos (Lubrax Podium/Chevrolet Cruze) – 1min27s349
18º – Christian Hahn (Blau Motorsport II/Chevrolet Cruze) – 1min27s399
19º – Átila Abreu (Shell V-Power/Chevrolet Cruze) – 1min27s435
20º – Sergio Jimenez (MX Piquet Sports/Toyota Corolla) – 1min27s436
21º – Pedro Cardoso (KTF Racing/Chevrolet Cruze) – 1min27s445
22º – Beto Monteiro (Crown Racing/Chevrolet Cruze) – 1min27s552
23º – Felipe Massa (Lubrax Podium/Chevrolet Cruze) – 1min27s567
24º – Tony Kanaan (Full Time Bassani/Toyota Corolla) – 1min27s653
25º – Guga Lima (A. Mattheis-Vogel/Chevrolet Cruze) – 1min27s667
26º – Marcos Gomes (Cavaleiro Sports/Chevrolet Cruze) – 1min27s688
27º – Galid Osman (Shell V-Power/Chevrolet Cruze) – 1min27s713
28º – Felipe Lapenna (Hot Car/Chevrolet Cruze) – 1min27s795
29º – Max Wilson (Full Time Sports/Toyota Corolla) – 1min27s932
30º – Gustavo Frigotto (RKL/Chevrolet Cruze) – 1min28s626
31º – Tuca Antoniazi (Hot Car/Chevrolet Cruze) – 1min29s042
32º – Nelson Piquet Jr. (MX Piquet Sports/Toyota Corolla) – sem tempo

Fontes: Stock Car e TV Band I Edição: Fábio Ometto I Imagens: Divulgação