Audi também interrompe produção de carros no Brasil

Montadora alemã segue os passos de Mercedes-Benz e Ford e paralisa atividades de sua fábrica instalada no Paraná. Motivo seria dívida milionária do governo federal

Audi também interrompe produção de carros no Brasil

Pelo que parece, o que começou como um caso isolado está virando tendência. Poucas semanas depois de a Mercedes-Benz e a Ford encerrarem as atividades de suas fábricas de automóveis no país (e de caminhões, no caso da marca estado-unidense) – segundo elas, em função da crise econômica e queda da demanda no mercado nacional, agravadas pela pandemia de Covid-19 -, a Audi também pôs fim à produção do modelo compacto A3 Sedan na fábrica que ela compartilha com a Volkswagen em São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba (PR).

Contudo, enquanto as duas primeiras justificaram suas decisões em função da crise econômica e queda da demanda no mercado nacional, agravadas pela pandemia de Covid-19, a Audi alegou, segundo reportagem publicada no site da revista Autoesporte, que o motivo da paralização é a espera pela devolução, por parte do governo federal, dos créditos de IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) gerados a partir do programa Inovar Auto. Em setembro do ano passado, o diretor de relações institucionais e de sustentabilidade da marca, Antonio Calcagnotto, afirmou ao portal Automotive Business que o montante em créditos devidos pela União às montadoras alemãs, incluindo BMW e Mercedes-Benz, seria de R$ 289 milhões, aproximadamente.

Decisão suspende imediatamente produção do A3 Sedan, único Audi feito no Brasil

Vale lembrar que, com base no Inovar Auto, a BMW inaugurou uma fábrica em Araquari (SC) em 2014, onde produz o sedã médio Série 3 e os SUVs X1, X3 e X4, enquanto a Mercedes levantou uma unidade de produção em Iracemápolis (SP), que entrou em operação em 2016 para montar o sedã médio Classe C e o crossover GLA.

Criado em 2012, o Programa de Incentivo à Inovação Tecnológica e Adensamento da Cadeia Produtiva de Veículos Automotores (Inovar-Auto) estabeleceu o retorno presumido de IPI para as empresas que investissem em fábricas no Brasil, com o objetivo de estimular a competitividade no setor automotivo, incluindo o investimento na cadeia de fornecedores, resultando na produção veículos mais econômicos e seguros. Segundo o então Ministério da Economia, até o final de 2018, a iniciativa contou com a adesão de 33 empresas, sendo 25 montadoras e oito importadoras.

Montadora cogita substituir produção do A3 Sedan, mas não revelou por qual modelo

No entanto, Audi afirma ainda não ter desistido de produzir no Brasil e até considera retomar a atividade, mas com outros modelos ainda não definidos. Essa decisão, porém, ainda aguarda o sinal verde vindo de Ingolstadt, na Alemanha, onde fica a matriz da marca, decisão que, por sua vez, depende do repasse dos créditos devidos pelo Governo Federal. Até o momento, o atual Ministério da Economia Fazenda e Planejamento não se pronunciou a respeito.

Fontes: Governo Federal, Autoesporte, Automotive Business I Edição: Fábio Ometto I Imagens: Divulgação