Bomba! Ford fecha todas as suas fábricas no Brasil

Crise econômica agravada pela pandemia e dificuldade de manter operação lucrativa no país levaram à decisão. Ofertas de serviços e de novos produtos serão mantidas

Bomba! Ford fecha todas as suas fábricas no Brasil

A Ford Motor Company anunciou que vai encerrar imediatamente as operações de manufatura em suas duas fábricas no Brasil, instaladas em Camaçari, na Bahia, e em Taubaté, em São Paulo, assim como a de sua subsidiária Troller, localizada em Horizonte (CE). A decisão foi divulgada por meio de um comunicado distribuído na tarde de hoje (11) à imprensa.

Como resultado, a Ford encerrará as vendas do utilitário esportivo compacto Ecosport, dos compactos Ka e Ka Sedan, e do SUV Troller T4 assim que terminarem os estoques. Além desses, atualmente compõem o portifólio da marca no mercado nacional a picape Ranger, feita na Argentina, os SUVs Edge ST e Territory, trazidos do Canadá e China, respectivamente, e o superesportivo Mustang, feito nos Estados Unidos.

Ford Ecosport 2020

Por enquanto, a duas plantas brasileiras da Ford serão mantidas em atividade apenas para a fabricação de peças por alguns meses, a fim de garantir a disponibilidade dos estoques de pós-venda.

Enquanto isso, a fabricante do T4 continuará operando até o quarto trimestre deste ano. O anúncio da montadora estado-unidense acontece poucos dias após a Mercedes-Benz também comunicar o fim da produção de automóveis no Brasil.

Troller T4

“Nosso dedicado time da América do Sul fez progressos significativos na transformação das nossas operações, incluindo a descontinuidade de produtos não lucrativos e a saída do segmento de caminhões”, disse Lyle Watters, presidente da Ford América do Sul e Grupo de Mercados Internacionais. ”Esses esforços melhoraram os resultados nos últimos quatro trimestres, entretanto a continuidade do ambiente econômico desfavorável e a pressão adicional causada pela pandemia deixaram claro que era necessário muito mais para criar um futuro sustentável e lucrativo”, justificou o executivo.

Contudo, a empresa se comprometeu a manter a assistência total ao consumidor com operações de vendas, serviços, peças de reposição e garantia para seus clientes no Brasil e na América do Sul.

Ford Ranger Storm 2021

Ainda segundo o comunicado, o mercado brasileiro continuará a ser atendido com seu portfólio global de produtos, entre eles, além da Ranger, a nova linha da van Transit, que será fabricada no Uruguai (com possibilidade de propulsão elétrica); a recente geração do icônico utilitário esportivo Bronco, lançada ano passado nos Estados Unidos; e a reedição do superesportivo Mustang Mach 1, com motor 5.0 V-8 de 480 cv. Além deles, a empresa lançou no último ano a Ranger Storm, o Territory e o Escape na região da América Latina. Ao mesmo tempo, a empresa tem planos para acelerar o lançamento de diversos novos modelos conectados e eletrificados.

Também serão mantidos o Centro de Desenvolvimento de Produto, na Bahia, o Campo de Provas, em Tatuí (SP), e sua sede regional em São Paulo. As operações de manufatura na Argentina e no Uruguai e as organizações de vendas em outros mercados da América do Sul não serão impactadas.

Campo de Provas de Tatuí (SP) será mantido em atividade

“A Ford está presente há mais de um século na América do Sul e no Brasil e sabemos que essas são ações muito difíceis, mas necessárias, para a criação de um negócio saudável e sustentável”, disse Jim Farley, presidente-executivo da Ford mundial. “Estamos mudando para um modelo de negócios ágil e enxuto ao encerrar a produção no Brasil, atendendo nossos consumidores com alguns dos produtos mais empolgantes do nosso portfólio global. Vamos também acelerar a disponibilidade dos benefícios trazidos pela conectividade, eletrificação e tecnologias autônomas suprindo, de forma eficaz, a necessidade de veículos ambientalmente mais eficientes e seguros no futuro”, concluiu o executivo.

Em decorrência dessa decisão, a Ford prevê uma despesa de aproximadamente US$ 4,1 bilhões, sendo US$ 1,6 bilhão relacionados aos custos administrativos (baixa de créditos fiscais, depreciação acelerada e amortização de ativos fixos), e os US$ 2,5 bilhões remanescentes direcionados a indenizações trabalhistas, como compensações, rescisões, acordos e outros pagamentos.

Fábrica da Ford Caminhões em São Bernardo do Campo (SP), fechada em 2019

Em fevereiro de 2019, a Ford Caminhões já havia encerrado as atividades com o fechamento da mais antiga fábrica da marca no Brasil, localizada em São Bernardo do Campo (SP), onde à época eram produzidas as linhas de veículos comerciais Cargo, no segmento de pesados, e as séries F-350 e F-4000, de leves e semi-leves, além do hatch compacto Fiesta.

Produção no país iniciou em 1919, com o modelo T e o caminhão TT, sobre o mesmo chassi

É o fim de uma história centenária, iniciada em 1919, quando a marca começou a importar os componentes e montar no país o modelo de passeio Ford T, conhecido como “Fordinho” ou “Ford bigode”, que foi o primeiro modelo do mundo fabricado em uma linha de montagem, e o caminhão TT – derivado do mesmo automóvel -, apenas dois anos após o lançamento da versão de carga nos Estados Unidos.

Fonte: Ford do Brasil I Edição: Fábio Ometto I Imagens: Divulgação