Jeep Wrangler Rubicon 392, o novo o rei das montanhas

Ícone off-road ganha versão de série mais potente e apta já produzida, equipada com motor Hemi 6.4 V-8, de 427 cv, além de itens inéditos de tração, conectividade e design

Jeep Wrangler Rubicon 392, o novo o rei das montanhas

O mais poderoso, rápido e ágil Wrangler de todos os tempos acaba de ser revelado pela Jeep, nos Estados Unidos. E força para esse argumento é o que não falta. Conforme antecipado pelo UNIVERSO MOTOR em julho deste ano, a nova versão do modelo mais emblemático da marca traz o motor V-8 Hemi de 6,4 litros – ou 392 polegadas cúbicas, daí a presença no nome – que rende a potência descomunal de 470 cv, assim como o torque de 65 kgf.m. Trata-se do mesmo engenho calibrado para entregar 485 cv nos poderosos SUVs Jeep Grand Cherokee SRT e Dodge Durango SRT, e nos muscle cars Dodge Charger R/T 392 e Chellenger R/T 392 – que formam o Olimpo da força bruta do grupo Fiat Chrysler Automobiles, atual detentora da marca Jeep.

Fora do asfalto, a já incontestável mecânica do Wrangler Rubicon 392 é incrementada com os eixos Dana 44 para uso severo; sistema de direção eletroidráulico e esterço total com apenas 3,13 voltas (de batente a batente); bloqueio do conversor de torque; kit de elevação de 5 cm para a suspensão; e pneus de 33 polegadas.

Jeep Wrangler Rubicon 392

O Rubicon 392 mantém o design original do Wrangler, incluindo o teto rígido removível (com painel solar panorâmico), mas incorpora vários itens exclusivos – estéticos ou funcionais -, para destacar que se está diante do modelo mais poderoso de sua história.

Por fora, novo “rei das montanhas”, como a própria Jeep o coroou, traz detalhes na cor bronze como o logotipo “Rubicon” no capô, as capas dos ganchos de reboque dianteiros e traseiros e o contorno do emblema dos amortecedores Fox Schocks.

Jeep Wrangler Rubicon 392

O capô elevado em 40 mm, emprestado do Jeep Gladiator Mojave, reforça a aparência agressiva do Rubicon 392 e traz a entrada de ar funcional (scoop) no centro da peça para admitir um fluxo maior tanto para refrigerar o motor quanto para ser admitido em suas oito câmaras de combustão.

Nas laterais, o capô traz os emblemas “392” para identificar a versão de maior cilindrada do Wrangler. O desenho da grade também direciona um volume  de ar maior para dentro do compartimento do motor, reforçando sua refrigeração.

Jeep Wrangler Rubicon 392

As rodas com acabamento na cor bronze têm medidas de 17×7,5” e são equipadas com beadlocks, que, literalmente, parafusam o aro da roda no talão do pneu, impedindo que eles patinem entre si em condições extremas no fora de estrada, o que resultaria na perda de tração do veículo; opcionalmente, essas travas podem vir com acabamento na cor preta.

Jeep Wrangler Rubicon 392

O Jeep Wrangler Rubicon 392 está disponível em nove opções de tonalidades para a pintura externa: as sólidas preto, branco brilhante, vermelho firecracker, e as metálicas granito crystal, laranja punk ’n, verde sarge, vermelho granada snazzberry, cinza sting, prata billet. O acabamento interno monocromático é oferecido somente na cor preta.

Jeep Wrangler Rubicon 392

No chassi, o Jeep Wrangler Rubicon 392 recebeu reforços nas longarinas do quadro, para permitir que se extraia o máximo proveito da abundante força e torque do motor V-8.

Suas aptidões off-road excepcionais são determinadas pela ampla distância entreeixos de 3.008 mm, combinada aos eixos Dana 44 com maior diâmetro e ao bloqueio eletrônico Tru-Lok dos diferenciais.

Jeep Wrangler Rubicon 392

Para aumentar as capacidades do sistema de suspensão com cinco braços em cada roda, o Rubicon 392 vem, ainda, com amortecedores Fox de alto rendimento, especificamente calibrados para o modelo. A barra estabilizadora dianteira também com gerenciamento eletrônico permite maximizar o curso da suspensão a qualquer momento para enfrentar os obstáculos mais improváveis.

O resultado, segundo a Jeep – e não há por que duvidar -, é o Wrangler mais capacitado da história da marca octogenária, graças aos seus 260 mm de altura livre do solo, que proporciona ângulos de aproximação, central e de saída de 44,5°, 22,6° e 37,5°, na ordem.

Motor Hemi de 6,4 litros é o V-8 com aspiração natural mais potente do mundo

A adoção do motor Hemi de 6.417 cm³ de cilindrada marca a volta de um V-8 à linha Wrangler como opção de fábrica, após 40 anos de ausência. Essencial para o rendimento na estrada e fora dela, ele desenvolve os 470 cv a 6.000 rpm e pico de torque de 65 kgf.m a 4.300 rpm, sendo que 75% desse total está disponível a baixas rotações.

O Hemi 6.4 V-8 utiliza bloco de ferro fundido e cabeçotes de alumínio, combinado com coletores de admissão ativos, comando de válvulas variável, duas velas de ignição por cilindro, válvulas de escape com núcleo de sódio (para evitar o superaquecimento) e injetores de óleo para a refrigeração do pistão. O propulsor também conta com cárter de vazão traseiro para o óleo de lubrificação e coletores de escape de fluxo livre.

Jeep Wrangler Rubicon 392

O nome Hemi deste motor indica suas raízes ligadas à revolucionária câmara de combustão hemisférica da Chrysler, cujo formato único das cavidades nos cabeçotes reduz a perda de calor, fazendo com que a queima do combustível seja mais eficiente, assim como abre espaço para as válvulas com diâmetro maior – e apenas duas por cilindro, neste caso.

Hoje em dia, os motores Hemi não apresentam mais o característico desenho das câmaras, mas o nome é mantido em função de seu forte apelo junto ao público. A atual família desses motores aparece entre os mais potentes V-8 em produção no mundo e o Hemi 392 é o mais forte entre os que mantêm a alimentação com aspiração atmosférica (sem auxílio de turbina).

Jeep Wrangler Rubicon 392

Outra característica marcante desse motor é aliar a força à inteligência. Isso, porque quando a carga de trabalho é leve, como ao trafegar na velocidade de cruzeiro pela rodovia, por exemplo, a tecnologia para a economia de combustível (Fuel Saver Technology) desativa metade dos cilindros, passando a funcionar de forma imperceptível no modo econômico.

A entrada de ar adicional do capô (scoop) proporciona ar externo frio e mais denso ao motor, aumentando o rendimento resultante da queima do combustível. E por meio da tecnologia Hydro-Guide, patenteada pela Jeep, os engenheiros da Jeep fizeram com esse fluxo seja mantido de forma permanente, sem importar o terreno ou o clima, nem mesmo a passagem por trechos alagados ou cursos d´água.

Jeep Wrangler Rubicon 392

De acordo com a fabricante, o Hydro-Guide consiste de um sistema de tubos em três níveis e com várias drenagens – incluindo o ponto de saída em sentido único, localizado na caixa de ar, por podem ser dispensados mais de 56 l de água por minuto, evitando que ela se misture com o ar admitido pelas câmaras de combustão. Dessa forma, o Rubicon 392 oferece a capacidade de imersão para até 83 cm de profundidade, mesmo se a movimentação da água passar acima do capô; essa vocação “anfíbia” do Wrangler Rubicon 392 é reforçada pela posição mais alta do alternador elétrico, entre o motor e o radiador.

E para assegurar que nada detenha o novo Jeep, no caso de a entrada de ar do capô ficar obstruída por neve, lama ou resíduos, um duto secundário assume a função de conduzir o ar externo para o motor. 

Jeep Wrangler Rubicon 392

Um requinte que torna a experiência a bordo do Rubicon 392 ainda mais estimulante é o recurso de modulação do som emitido pelo motor V-8 adicionado ao sistema de escape do tipo 8×2, finalizado com quatro ponteiras.

O sistema é ativado automaticamente, abrindo as válvulas de escape para reduzir a contrapressão dos gases de exaustão, mas o motorista também pode ativar o sistema por meio de um botão no painel.

Jeep Wrangler Rubicon 392

A transmissão automática TorqueFlite 8HP75 de oito velocidades, desenvolvida para gerenciar altas entregas de torque, proporciona trocas de velocidade mais rápidas e ajustadas para cada situação de uso do veículo, seja no asfalto ou na terra.

E, pela primeira vez na linha Wrangler, essa transmissão também permite as trocas de marcha manuais por meio de aletas atrás do volante (paddle shifts), ou através do seletor eletrônico sequencial na alavanca do console.

Jeep Wrangler Rubicon 392

O sistema de tração integral do Jeep Wrangler Rubicon distribui permanentemente a força do motor para as quatro rodas. Seu coração é a caixa de transferência ativa Selec-Trac, de duas velocidades, com redução de 2,72:1, e quatro modos de atuação selecionáveis: 4WD Auto (autoajustável), 4WD High (fixo), 4WD Low (reduzida) e Neutral, que permite rebocar o veículo, se necessário.

A incrível capacidade motriz do Wrangler 392 também se apoia na tecnologia Torque Reserve e no câmbio AMax. A primeira permite gerenciar o fluxo de combustível para os cilindros e controlar o avanço ou atraso da ligação balanceada, assim como as rotações do motor e o torque, a fim de maximizar a entrega de potência.

Por sua vez, a caixa AMax, trazida do Jeep Grand Cherokee Trackhawk, permite a máxima entrega do torque nas acelerações, além de coordenar o momento da troca de marcha e a quantidade de torque transmitida para cada situação.

Jeep Wrangler Rubicon 392

A inigualável capacidade de trafegar em qualquer terreno do Wrangler Rubicon 392 também se apoia nos sistemas de controle de tração Off-Road Plus e Control Selec-Speed. Ativado por meio de um botão, o sistema Off-Road Plus disponibiliza os modos de condução para areia (Sand) e rochas (Rock), elevando as capacidades de tração do modelo.

Eles ajustam os parâmetros do acelerador, câmbio e controle de tração para oferecer o máximo rendimento, seja em grandes velocidades sobre terreno arenoso ou vagarosamente sobre as pedras. O recurso também possibilita bloquear os eixos traseiros em altas velocidades no modo 4WD High.

Jeep Wrangler Rubicon 392

Já o Control Selec-Speed gerencia a velocidade no modo 4WD Low, sem a necessidade de acionar o acelerador ou o freio. O recurso também é ativado por meio de uma tecla no painel de instrumentos e pode ser ajustado em velocidades entre 2 e 8 km/h, simplesmente usando o seletor do câmbio eletrônico Range Select.

Jeep Wrangler Rubicon 392

Como um legítimo habitante da montanha, o Wrangler Rubicon 392 também domina as descidas em baixa velocidade, fazendo o uso coordenado do freio-motor e do bloqueio do conversor do torque (com relação de transmissão revisada para 48:1), o que permite gerenciar o ritmo sem a necessidade de pisar no pedal do freio, evitando uma possível perda aderência com o piso e o descontrole do veículo.

Jeep Wrangler Rubicon 392

Acoplado à transmissão TorqueFlite, de oito velocidades, e à caixa de transferência permanente, esse trem de força impulsiona o Wrangler Rubicon 392 de zero a 60 mi/h (96 km/h) em 4,5 segundos, e permite que ele percorra um quarto de milha (400 m) em 13 s.

Interior é revestido em couro monocromático preto com costuras em bronze

O acabamento interno de couro predominantemente na cor preta é contrastado com a costura especial na tonalidade bronze. Os bancos também forrados com couro trazem nos encostos de cabeça dianteiros os bordados do logo Rubicon 392.

O quadro de instrumentos ganhou desenho especial, com grafismos exclusivos para esta versão do Wrangler. No centro do painel, a tela tátil de 8,4 polegadas (21,3 cm) projeta as informações do sistema multimídia Uconnect e das tecnologias de monitoramento off-road, que permitem ao condutor conferir a oscilação da carroceria, o balanceamento da tração, a altitude do trajeto e as coordenadas do GPS (sistema de posicionamento global por satélite), entre outros dados.

Central multimídia Uconnect tem tela tátil de 8,4″ (21,3 cm)

Além do acabamento em couro e do sistema Uconnect, o Jeep Wrangler Rubicon 392 inclui outros elementos de série que, normalmente, são opcionais na gama Wrangler, tais como o banco do motorista com ajustes elétricos; pintura externa do teto e painel interno na cor da carroceria; proteções de aço para o chassi; conjunto de iluminação totalmente de LED; pacote de tempo frio; acesso remoto por proximidade; e conteúdo de segurança.

Guincho elétrico é um dos acessórios originais oferecidos pela Mopar

No entanto, os clientes podem ir além e adicionar itens fornecidos da Mopar, a marca de acessórios originais do grupo FCA, como luzes auxiliares de LED para o off-road; guincho Rubicon; opções de eixo dianteiro Ultimate Dana 44 Advantek, com relações do câmbio disponíveis de até 5,36:1; e rodas com travas beadlock para pneus maiores, entre outros.

Jeep Wrangler Rubicon 392

A Jeep prevê que o Wrangler Rubicon 392 estará disponível nas concessionárias da América do Norte no primeiro trimestre de 2021, mas ainda não revelou o preço do modelo. No entanto, de acordo com as especulações da imprensa especializada local, o preço inicial deverá ficar na faixa de US$ 60 mil, algo em torno dos R$ 323 mil. E, ao menos por enquanto, também não há informações sobre a possibilidade do mais poderoso Wrangler de todos os tempos estender seus domínios em território brasileiro.

Confira o rugido poderoso do motor Hemi 6.4 V-8 e mais alguns detalhes e aptidões do novo Jeep Wrangler Rubicon 392 em seu habitat natural:

Fontes: Jeep do Brasil e carandriver.com I Tradução e edição: Fábio Ometto I Imagens: Divulgação

ModeloJeep Wrangler Rubicon 392
Origem Estados Unidos
Preço (estimado)US$ 60.000 (R$ 323.00)
CarroceriaSUV, 5 lugares, chassi com longarinas de aço e carroceria de aço e alumínio
Medidas (C/L/A) 4.786 mm I 1.875 mm I 1.165-1.893 mm
Peso2.314 kg
MotorV-8, 6,4 litros, naturalmente aspirado, gasolina
CâmbioAutomático, 8 marchas, trocas manuais no volante e na alavanca do console central
Potência470 cv a 6.000 rpm
Torque65 kgf.m a 4.300 rpm
Peso-potência4,92 kg/cv
0 a 96 km/h4,5 segundos
Vel. máximaN/D