Há 125 anos, em Paris, nascia o automobilismo

Primeiro concurso de “viaturas sem cavalos” foi organizado por um jornal para premiar o carro mais seguro, prático e econômico ao longo do trajeto de 127 km

Há 125 anos, nascia o automobilismo [Divulgação]

Diz a lenda que a primeira corrida de automóveis teria acontecido no dia em que o segundo carro foi fabricado. No entanto, não há qualquer registro dessa disputa que, obrigatoriamente, teria de envolver  o Benz Patent-Motorwagen, reconhecido como o primeiro automóvel da história, patenteado por Karl Benz, em 1886.

Imaginação à parte, a Mercedes-Benz, erguida a partir das invenções do engenheiro alemão, celebra, hoje, os 125 anos do evento considerado como a primeira prova automobilística.

Panhard & Levassor de nº 13. também com motor Daimler, quarto na prova [Divulgação]

Às 8h da manhã daquele 22 de julho de 1894, 21 bravos condutores – prestes a se tornar também os primeiros pilotos -, acompanhados de seus passageiros, alinharam os veículos no Boulevard Maillot, bem próximo ao parque de Bois de Boulogne, em Paris, para darem a largada a uma competição de resistência até Rouen, a noroeste da capital francesa, num trajeto de 127 km por estradas públicas.

Capa do”Le Petit Journal” (Reprodução]

O evento foi organizado pelo jornal francês Le Petit Journal, e o regulamento, em termos gerais, prometia a vitória para a carruagem sem cavalos que fosse “não perigosa, fácil de guiar e barata durante a jornada”. Centenas de espectadores foram testemunhar a corrida e dar início a uma arriscada aventura pelas estradas que incluídas no trajeto, que não foram fechadas ao público. Com isso, o comboio foi acompanhado por muitos ciclistas e um grande de número de veículos com propulsão mecânica, que dividiram o percurso como amadores.

Após uma parada para o lanche no meio da prova, o primeiro carro cruzou a linha de chegada às 17h40; em seguida, cada um a seu tempo, outros 16 veículos completaram o trajeto. Entre todos os finalistas, nove foram impulsionados pelos 3,5 cavalos de potência do motor de dois cilindros em V, inventado por Gottlieb Daimler, na Alemanha, e produzido na França de acordo com o projeto original. Um modelo Benz, de 5 cv, também terminou a corrida.

Panhard & Levassor com motor Daimler [Divulgação]

O primeiro prêmio foi dado aos competidores “com os carros que ficaram mais próximos ao ideal” definido pelo regulamento, e foi dividido entre o modelo Panhard & Levassor, com o nº 65, e um Peugeot, ambos de fabricação francesa e movidos pelo “Sytème Daimler”, de 3,5 cv.

No veredito, os jurados enfatizaram a inovação do inventor alemão: “O motor desenvolvido por um habilidoso engenheiro de Württemberg – o sr. Daimler, que esteve presente ontem em Rouen para dividir o triunfo de seu trabalho -, transformou o petróleo ou a gasolina em uma solução prática”, reverenciou o mestre de cerimônias durante a premiação.