Ferrari 499P domina grid da centenária 24 Horas de Le Mans

Meio século depois de sua última participação oficial na mítica prova francesa de resistência, equipe italiana faz história e põe seus dois hipercarros na primeira fila




Ferrari 499P domina grid da centenária 24 Horas de Le Mans

Parece roteiro de cinema, mas, 50 anos depois de alinhar pela última vez seus bólidos vermelhos entre a elite do Campeonato Mundial de Endurance (WEC), a multicampeã Ferrari vai ocupar a posição de honra da 24 Horas de Le Mans 2023, com seus dois hipercarros 499P na primeira fila.

Representada pela equipe italiana AF Corse, a Casa de Maranello faz sua estreia na categoria Le Mans Hypercars (LMH) – restrita a carros de propulsão híbrida, que combina o motor V-6 a combustão a uma unidade elétrica, e tração nas quatro rodas -, em seu retorno à categoria máxima do endurance.

Ferrari 499P

Na sessão chamada de hiperpole (que define a pole-position para os hipercarros), disputada nesta quinta-feira (8), o piloto italiano Antonio Fuoco, com a Ferrari 499P nº 50, superou por apenas 0m773s o compatriota Alessandro Pier Guidi, com a machinna gêmea nº 51 – até ali, a mais rápida na pista -, colorindo inteiramente de vermelho a fila de honra do grid.

A largada para a edição histórica da mais famosa prova de resistência a motor do mundo, no mítico circuito de 13,6 km de La Sarthe, está programada para este sábado (10), tradicionalmente às 16h no horário local (11h em Brasília).

Ferrari 312 PB (1973)

A primeira prova de 24 Horas em Le Mans teve largada em 26 de maio de 1923, com a participação de 33 carros, de marcas como Delage, Rolland-Pilain, Lorraine-Dietrich, Amilcar, Corre La Licorne e outras marcas já extintas, exceto a Bugatti. O vencedor foi um Chenard et Walcker, pilotado pelos franceses André Lagache e René Léonard. De lá para cá, a prova só deixou de ser disputada entre os anos de 1940 e 1948, por causa da Segunda Guerra Mundial.

Vale lembrar que o fato de duas Ferrari largarem em primeiro e segundo na 24 Horas de Le Mans não é inédito. Isso também aconteceu na última aparição oficial da fábrica italiana na categoria principal, em 1973. Na ocasião, o mexicano Arturo Merzario, fazendo dupla com o brasileiro José Carlos Pace ao volante do protótipo aberto 312 PB, cravou o melhor tempo, logo à frente do belga Jacky Ickx, umas das lendas de Le Mans, e Brian Redman, em um modelo idêntico.

Ferrari 499P

De volta à edição deste ano, os 499Ps ocuparam os primeiros lugares já desde o início da hiperpole, disputado em pista seca. O primeiro a assegurar a pole para a Ferrari foi Guidi, logo em sua volta de abertura na classificação, com o tempo de 3m23s897.

Apesar do tráfego na pista, com os oito melhores carros de cada classe em ação, o piloto italiano de 39 anos baixou o tempo para 3m23s755, mantendo o trio completado por James Calado e Antonio Giovinazzi à frente do grid. Na segunda parte da sessão cronometrada de trinta minutos, realizada na quarta-feira, o companheiro de equipe Antonio Fuoco diminuiu a diferença, a princípio, para (quase) imperceptíveis 0m008s, depois baixando o tempo ainda mais, para fechar a volta em 3m22s982.

Fuoco e a P499 entram para a história com a pole-position da 100ª edição de Le Mans

A volta espetacular conseguida por Fuoco, que divide o cockpit com Miguel Molina e Nicklas Nielsen, rendeu ao Cavallino Rampante uma pole position histórica em seu retorno à disputa pela vitória geral em Le Mans, após meio século de ausência.

Esta foi a segunda pole da equipe Ferrari-AF Corse e de Fuoco em 2023, juntando-se à conquistada em março, na 1000 Milhas de Sebring, nos Estados Unidos, etapa de abertura da temporada do WEC. Ao mesmo tempo, o piloto de 27 anos, nascido em Cariati, também se torna o primeiro italiano desde Rinaldo Cappello, em 2006, a ser o mais rápido em Le Mans.

Toyota Gazoo Racing GR010

Desbancada do trono, a Toyota teve de se consolar com a terceira posição no grid para o seu ex-imbatível Gazoo Racing GR010, tendo ao volante do carro nº 8 o neozelandês Brendon Hartley, ao lado do francês Sebastien Buemi e do japonês Ryo Hirakawa – trio vencedor da corrida do ano passado.

Atual pentacampeã consecutiva de Le Mans, a Toyota havia largado da pole position nas últimas seis edições da prova.

Porsche 963

A quarta posição foi assegurada pelo brasileiro Felipe Nasr com o Porsche 963, carro que também faz sua estreia em Le Mans. Ostentando o nº 75 na carroceria, o carro da equipe oficial Penske Porsche Motorsport faz homenagem às bodas de diamante da marca alemã.

Outro fato histórico importante a ser lembrado neste centenário da 24 Horas de Le mans é que a Porsche é a marca com maior número de vitórias gerais na prova, com 19 triunfos – simultaneamente aos outros 108 por categorias.

Oreca 07 Gibson

Na classe LMP2 (que reinava como a mais veloz do WEC até a estreia da LMH, em 2021), todos os sete carros inscritos usam o mesmo conjunto, formado pelo chassi francês Oreca (versão 07), com motor V-8 de 4,2 litros de cilindrada, aspirado, produzido pela britânica Gibson. O piloto local Paul Loup-Chatin conquistou a pole com o carro nº 48, da equipe Idec Sport, registrando o tempo de 3m32s923 – logo atrás dos oito hipercarros do grid e a quase 10s da Ferrari 499P de Fuoco.

A segunda posição na LMP2 foi assegurada por Pietro Fittipaldi (neto do bicampeão de F1 e da 500 Milhas de Indianápolis), da equipe WRT, que, mais uma vez, mostrou ritmo rápido, mas acabou perdendo a pole na última volta, a apenas 0s1122 de Chatin.

Chevrolet Corvette

Enquanto isso, na classe LMGTE AM, aberta a modelos de produção em série, Ben Keating, com o Corvette nº 33, conquistou a primeira posição do grid, com 3m52s376. Foi a terceira pole do supercarro da Chevrolet em Le Mans desde o início do WEC, e a segunda na classe GTE AM.

O segundo no grid da LMGTE AM Ahmed Al Harthy, de Omã, com o Aston Martin Vantage AMR da equipe ORT by TF. O suíço Thomas Flohr, com a Ferrari 488 GTE EVO nº 54, inscrita pela equipe oficial AF Corse, foi o terceiro, garantindo fabricantes diferentes nas três primeiras posições.

Ferrari GTE EVO

O tricampeão da Stock Car Daniel Serra larga em sexto na categoria, também com uma Ferrari GTE EVO nº 57, da equipe Kessel Racing.

A chegada da 100ª edição da 24 Horas de Le Mans está prevista para as 16h deste domingo, no horário local (11h no horário de Brasília).

Fonte: FIA WEC, Ferrari, Porsche, Toyota e Wikipedia I Edição: Fábio Ometto I Imagens: Divulgação




Sobre Universo Motor 1043 Artigos
Jornalista e editor de conteúdo