Scuderia Ferrari celebra 90 anos do “Cavallino Rampante”

Equipe de Maranello estampou em seus carros neste fim semana o emblema original que usou pela primeira vez nas pistas em 1932, porém numa prova de motociclismo

Scuderia Ferrari celebra 90 anos do “Cavallino Rampante”

A vitória de Charles Leclerc no GP da Áustria de Fórmula 1, disputada neste domingo (10), foi uma boa maneira de celebrar o 90º aniversário da primeira aparição do emblema do Cavalo Rampante nos carros da Scuderia Ferrari, em 1932.

Como parte das comemorações, durante todo o final de semana no circuito de Spielberg, os modelos F1-75 conduzidos pelo piloto monegasco e pelo espanhol Carlos Sainz (primeiro colocado na prova anterior, na Inglaterra) traziam o antigo distintivo da equipe de Maranello estampado nas laterais.

Símbolo da sorte: escudo original venceu logo na estreia, em 1932, e repetiu ontem, na Áustria

A sugestão para que Enzo Ferrari adotasse em seus carros de corrida o escudo utilizado pelo aviador Francesco Baracca, morto durante o primeiro grande conflito mundial (1914-1917), veio da própria família do herói de guerra italiano, que o sugeriu para dar boa sorte à equipe.

Aceita como uma honraria pelo Comendador, o emblema do Cavallino Rampante fez sua estreia nos carros da Scuderia Ferrari no dia 9 de julho de 1932, na também mítica 24 Horas de Spa-Francorchamps, uma das principais provas de resistência do mundo, que tem suas edições disputadas até hoje.

Emblema do herói de guerra Francesco Baracca foi oferecido pela família do aviador a Enzo Ferrari

E o ponto de partida para a trajetória do emblema que se tornaria um símbolo do esporte a motor mundial não poderia ter começado de forma mais vitoriosa! O dois MM Alfa Romeo 8C 2300 inscritos pela Ferrari na prova de resistência belga – muito antes da equipe produzir seu primeiro bólido de corrida, em 1952 – terminaram com o melhor resultado possível, como campeão e vice.

Os carros que tiveram o privilégio de ostentar o escudo do cavalinho foram conduzidos pelas duplas Antonio Brivio e Eugenio Siena, vencedores, e de Piero Taruffi e Guido d’Ippolito.

Motocicleta Rudge e Alfa Romeo 8C foram os primeiros a ostentar o Cavalinho Rampante

No entanto, a primeira aparição do Cavalo Rampante nas pistas aconteceu sobre duas rodas, poucos dias antes, em 3 de julho, no Circuito di Pontedera, adornando uma moto Rudge, com a qual a Ferrari disputou o campeonato italiano da modalidade entre 1932 e 1934.

Atualmente, tanto o Alfa Romeo 8C quanto a Rudge fazem parte da exposição temporária Scuderia Ferrari, The Full Story, no museu da marca, em Maranello, que apresenta vários modelos inesquecíveis, protagonistas de vitórias e derrotas marcantes, seja na Fórmula 1 ou em categorias de carros esportivos.

Ferrari F1-75, do espanhol Carlos Sainz

Além dos dois F1-75 no GP da Áustria, neste final de semana o antigo emblema também esteve presente nos 488 GTE da escuderia AF Corse que disputaram a Seis Horas de Monza, quarta etapa do WEC, o Campeonato Mundial de Endurance da FIA, na categoria LM GTE PRO.

As duas Ferrari 488 GTE da equipe AF Corse lideram o pelotão na 6 Horas de Monza

Os pilotos Miguel Molina e Antonio Fuoco, dividindo o volante do carro no º 52, terminaram na segunda posição, logo à frente dos companheiros de equipe Alessandro Pier Guidi e James Calado (nº 51), que chegaram em terceiro.

Fonte: Scuderia Ferrari I Edição: Fábio Ometto I Imagens: Divulgação