Aston Martin AMR22: “verdão” ressurge sob a tradição britânica

Em seu segundo ano como equipe oficial e prestes a celebrar um século de disputas em Grandes Prêmios, escuderia inglesa apresentou o novo modelo cor de esmeralda




Aston Martin AMR22: “verdão” ressurge sob a tradição britânica

Conquistar o título mundial até 2025. Determinada a esse objetivo, a escuderia britânica Aston Martin de Fórmula 1 apresentou o carro para a temporada deste ano, o verdejante AMR22. Às vésperas de iniciar sua segunda temporada como equipe oficial na categoria, a marca também se prepara para celebrar um século de participação nas competições da elite dos monopostos, os Grandes Prêmios – que acabaram reunidos num campeonato, dando origem à F1 -, iniciada em uma prova da França, em 1922.

O AMR22 foi revelado na linha de montagem de carros esportivos da Aston Martin, em Gaydon, na Inglaterra, junto com os pilotos titulares, o alemão Sebastian Vettel, 34 anos, tetracampeão da categoria, e o canadense Lance Stroll, 23, que parte para sua sexta temporada na Fórmula 1, ainda em busca da primeira vitória.

Verde esperança: Stroll e Vettel partem para 2022 com a expectativa de subirem mais vezes ao pódio

O AMR22 apresenta uma tonalidade diferente da Aston Martin Racing Green (a cor tradicional da marca nas pistas), em relação à utilizada no ano passado, ficando agora mais próxima do verde esmeralda, e adiciona detalhes em amarelo cítrico, que sugerem maior dinamismo.

Outra novidade vista na carenagem é o apoio da Aramco, a gigante petrolífera estatal da Arábia Saudita, que passa a ser uma das co-patrocinadoras da equipe, ao lado da Cognizant, marca de soluções digitais.

AMR22 foi apresentando na linha de montagem dos esportivos da marca britânica

O evento de lançamento da AMR22 teve como coadjuvantes os mais novos membros do portfólio de produtos de alto desempenho da Aston Martin.

São eles o DBX707, SUV de luxo mais poderoso do mundo, e dois modelos que possuem diretamente tecnologia e a experiência da Fórmula 1, segundo a fabricante: o hipercarro Valkyrie AMR Pro e o supercarro híbrido Valhalla.

Aston Martin AMR22

“O retorno da Aston Martin à Fórmula 1 tem sido um momento monumental para a marca, com impacto transformador para nossas credenciais de desempenho e consciência global”, afirmou Lawrence Stroll, presidente executivo da Aston Martin Lagonda e pai do segundo piloto da escuderia.

“Através da equipe de corrida e nosso status como carro de segurança e do carro médico da Fórmula 1, conseguimos mostrar nosso produto e testar novas tecnologias nos maiores circuitos do mundo.”

Aston Martin AMR22

Na entrevista coletiva após a apresentação do AMR22, quando perguntado sobre o que espera em termos de resultados para este ano, Stroll “pai” disse: “Eu diria pódios ocasionais. Eu não diria pódios frequentes. Pódios regulares no próximo ano? Sim. Eu diria que lutar pelo campeonato mundial depois dos pódios regulares? Sim. Em cinco anos, lutaremos pelo campeonato. Em quatro anos, estaremos regularmente no pódio. Três anos, que será no próximo ano, muitas vezes estaremos no pódio. Este ano, ainda será ocasional”, preconizou o chefão da equipe Aston Martin.

Chefão: Lawrence Stroll é o dono da equipe de F1 da Aston Martin e tem 25% da ações da fabricante

RETROSPECTIVA – Lawrence Sheldon Strulovitch, ou apenas Lawrence Stroll, 62 anos, iniciou sua fortuna importando vestuário de alto padrão para o Canadá e, depois, com investimentos em marcas conceituadas desse segmento. O envolvimento com a Fórmula 1 começou em meados dos anos 2000, levado por sua paixão pela Ferrari a patrocinar a equipe de F1, ainda na época de Schumacher. Sstroll também é um dos maiores colecionadores do mundo de carros de Maranello. Mas foi a partir de 2017 que ele passou a ser visto com frequência perambulando pelo paddock da F1, seguindo de perto a carreira do filho, Lance, então na Williams, que apesar do talento demostrado com títulos nas categorias de acesso, teve sua entrada na equipe facilitada pelos aportes familiares.

Em agosto de 2018, o  Lawrence liderou um consórcio de investidores na compra da equipe Force India de F1, que passou a adorar o nome de Racing Point Force India para o restante daquela temporada. Para 2019, a equipe foi novamente rebatizada como Racing Point e passou a contar com Lance Stroll como um dos pilotos, ao lado do mexicano Sergio Perez.

Apesar dos agenda sempre cheia, Lawrence sempre procurou acompanhar de perto a carreira do filho

Em 31 de janeiro de 2020, foi anunciado que Lawrence Stroll liderou um consórcio que adquiriu 16,7% das ações da Aston Martin Lagonda Limited por cerca de 182 milhões de libras esterlnas; o acordo ainda incluiu uma injeção de 318 milhões de libras no capital da empresa, com Stroll assumindo o cargo de presidente executivo da fabricante britânica.

Fez parte da negociação também, a renomeação da equipe de Fórmula 1  para Aston Martin a partir de 2021, que se tornou equipe oficial da fabricante britânica de carros esportivos, e a permanência de Lance como piloto titular para as temporadas de 2021 e 2022. Em março do ano passado, por meio de uma injeção adicional de recursos, Stroll aumentou sua participação na empresa para 25%. Ou seja, se tudo sair conforme os planos, Stroll poderá representar para a Aston Martin um papel semelhante e tão crucial quanto o Ron Dennis foi para a McLaren a partir da virada dos anos de 1980, fazendo da equipe também britânica uma das maiores máquinas de conquistar títulos que a F1 já teve. Mas isso só o tempo dirá.

Aston Martin AMR22

A equipe Aston Martin Aramco de Fórmula 1 inicia a temporada de 2022 no Grande Prêmio do Bahrein, em 20 de março.

Fonte: Aston Martin Lagonda I Edição: Fábio Ometto I Imagens: Divulgação e redes sociais




Sobre Universo Motor 996 Artigos
Jornalista e editor de conteúdo