Mini, o quinto Beatle sobre rodas

Do primeiro carro de John ao modelo psicodélico de George, e motivo para o sorriso fácil de Paul e Ringo ao guiá-lo, ícone britânico era unanimidade entre os 'Fab Four'




Mini, o quinto Beatle sobre rodas

Apresentado ao público há mais de 60 anos, o pequenino e cativante Mini despertou, desde logo, a paixão de inúmeras celebridades, que se renderam ao charme e simpatia do carrinho em forma de cubo, com duas portas e quatro lugares. O design inconfundível, o espaço interno generoso – apesar de seus pouco mais de 3 metros de comprimento -, e a condução ágil e divertida foram fatores importantes para a aceitação do modelo revolucionário em seus primeiros anos de vida dentro da alta sociedade, especialmente na terra natal, a Grã-Bretanha.

Imagens nem tão conhecidas mostram inúmeras estrelas ligadas em música, cinema e moda escolhendo o clássico Mini como seu veículo de estimação, fazendo do citadino compacto um símbolo de sua época.

Mini Cooper psicodélico de George Harrison

Essa proximidade do Mini com o universo dos astros e estrelas é frequentemente celebrada em ocasiões como 6 de julho, estabelecido como o Dia Internacional dos Beatles, por ser a data em que Paul McCartney e John Lennon foram apresentados um ao outro, ainda garotos, no verão de 1957, em Liverpool, na Inglaterra.

 

Nos anos seguintes, eles se juntaram a George Harrison e Richard “Ringo” Starr para formar o que viria a ser a maior banda de rock de todos os tempos – com as devidas desculpas a Rolling Stones, Pink Floyd, Led Zeppelin…

John Lennon

Afinal, muito antes de um certo fusquinha (ou Beetle, nos países de língua inglesa) ocupar aleatoriamente lugar de destaque na capa de Let it be – último álbum de estúdio do grupo, lançado em 1969 -, o Mini foi quem esteve mais próximo de se tornar o quinto Beatle, ao despertar o entusiasmo de todos os Fab Four logo no início da carreira.

Lennon foi quem saiu na frente e, em 1964, comprou um Mini como seu primeiro automóvel, mesmo ainda nem possuindo carteira de motorista. Dois anos depois, o empresário dos Beatles, Brian Epstein, deu a cada membro do quarteto um Mini Cooper S de presente.

Paul McCartney e Ringo Starr

Imagens cotidianas mostram o baterista Ringo Starr ao lado de um exemplar que participara do Rali de Monte Carlo de 1964, assim como McCartney entrando em seu Mini, mais perto do final daquela década.

PSICODELIA ESTAMPADA

George Harrison

George Harrison era o orgulhoso proprietário de um Mini de Ville, versão com acabamento personalizado criada pelo fabricante de carrocerias Radford, de Londres. Segundo os recortes da época, o mais místico dos Beatles – e o maior aficionado por carros e corridas, também – teve seu Mini customizado com imagens transcendentais aplicadas sobre a pintura vermelha, incluindo yantras (símbolos sagrados) e mantras na língua do sânscrito.

Em 1967, o extravagante Mini de Harrison fez algumas aparições no não menos psicodélico filme Magical Mystery Tour, uma das quatro produções para o cinema estreladas pelos Beatles.

Versão 2009 do Mini Cooper de Harrison

Para coincidir com o 50º aniversário da marca, em 2009, a Mini – agora já incorporada pelo Grupo BMW – fez uma interpretação moderna do modelo singular de George, mas, seguindo as preferências de Olivia Harrison, viúva do ex-Beatle.

O exemplar estilizado foi oferecido a ela no evento Mini United, um festival para a grande comunidade de fãs da marca realizado no lendário autódromo de Silverstone, nos arredores de Londres, em maio do mesmo ano.

Olivia Harrison

Olivia aceitou o carro em nome da Material World Charitable Foundation, uma instituição de caridade criada pelo próprio Harrison em 1973. O veículo mais do que especial foi leiloado semanas depois e toda a renda revertida para a entidade beneficente.

“George era um grande fã do Mini e teria gostado de criar esta nova versão. O fato de que as comemorações do 50º aniversário da Mini também beneficiam nossa Fundação a tornou uma colaboração agradável e significativa”, afirmou Olivia.

OUTRAS “VIAGENS”

Rolls-Royce de Lennon e o Mini de Harrison

Vale lembrar, porém, que a ideia de misturar música, psicodelia e automóveis partiu de outro Beatle. Em 1965, o lisérgico Rolls-Royce de John Lennon escandalizou a aristocracia britânica. O modelo Phantom V teve sua aparência majestosamente branca substituída por uma pintura em amarelo vibrante, repleta de detalhes multicoloridos inspirados nos carroções ciganos.

Quando se mudou para Nova Iorque, nos Estados Unidos, no início da década de 1970, o autor de Imagine levou o carro em sua bagagem. Poucos anos depois do seu assassinato, o Summer of Love, como era chamado pelo próprio Lennon, foi levado a leilão pela viúva, Yoko Ono. Adquirido por um colecionador, o Rolls-Royce histórico foi repassado para o acervo permanente do museu de Columbia, no Canadá, onde é mantido como uma das principais atrações do lugar.

VW Kombi “Light”

Ainda do lado de cá do Atlântico, outro clássico da psicodelia sobre rodas é a Kombi Light, um dos símbolos do Festival de Woodstock de 1969, que reuniu perto de meio milhão de pessoas em uma fazenda no estado de Nova Iorque, ao longo dos quatro dias do evento.

UNIVERSO MOTOR I Redação

Edição: Fábio Ometto I Fontes: Mini Brasil e México, e Wikipedia I Imagens: Divulgação




Sobre Universo Motor 1043 Artigos
Jornalista e editor de conteúdo