Conheça o Chevrolet Corvette que o campeão da Indy500 levou para casa

Edição comemorativa do superesportivo que completa 70 anos em 2023 foi o pace car da corrida e saiu diretamente da pista oval para a garagem de Marcus Ericsson

Este é o Chevrolet Corvette que o campeão da Indy500 levou para casa

O sueco Marcus Ericsson inscreveu definitivamente seu nome na história do automobilismo mundial no último domingo (29), ao vencer a 106ª edição da 500 Milhas de Indianápolis. Junto da glória de ser o 74º piloto a cruzar na primeira posição a brick lane – a linha de chegada formada por tijolos do pavimento original da pista -, o sueco da equipe Chip Ganassi amealhou uma série de premiações e honrarias.  

Além de ter seu rosto adicionado em alto relevo no troféu Borg & Warner, de ganhar um valioso anel com o logotipo da corrida e embolsar um polpudo cheque – que este ano foi de 3,5 milhões de dólares (R$ 16,8 milhões) -, o campeão da Indy500 tradicionalmente também leva para casa o pace car da prova, o carro de produção que dita o ritmo dos 33 monopostos nas voltas de aquecimento e volta à pista sempre que a bandeira amarela é acionada.

Chevrolet Corvette Z06 70th Anniversary Edition

Novamente, essa função destacada dentro do maior espetáculo do automobilismo mundial coube a um modelo da Chevrolet – pela 33ª vez desde a estreia da marca, em 1948 – que trouxe para Indianápolis um exemplar muito especial de seu superesportivo, o Corvette Z06 70th Anniversary Edition.

Este ano, o pace car foi conduzido pela ex-piloto Sara Fisher, que disputou a F-Indy entre 2000 e 2010 e se mantém como a mulher mais rápida de Indianápolis, com a média de velocidade de 229.439 milhas por hora (369,167 km/h) nas quatro voltas de classificação, em 2002.

O belo e a fera: Sara Fischer conduziu o pace car na 500 Milhas de Indianápolis deste ano

Vale lembrar que a média recorde foi quebrada este ano pelo neozelandês Scott Dixon, pole position da prova, com 234,046 mph (376,580 km/h).

Apresentada em janeiro deste ano, a série 70th Anniversary Edition do Corvette Z06 (teto rígido) e do Stingray (conversível) celebram a longa história do superesportivo da Chevrolet, lançado em 1953.

Edição comemorativa do superesportivo é oferecida nas versões Z06 e Stingray

Ambas as versões se diferenciam pelas cores exteriores exclusivas, que são a white pearl metallic tri-coat (branco perolizado) ou a carbon flash metallic (preto metálico).

Opcionalmente, o modelo pode vir com listras duplas que se estendem por toda a área central da carroceria, na cor cinza cetim para a pintura clara ou preto cetim para a escura.

Rodas exclusivas têm desenhos diferentes para cada versão do Corvette de aniversário

A série 70th Anniversary Edition também apresenta rodas exclusivas de 20 polegadas, com desenhos distintos para o Z06 e o Stingray, mas com o mesmo acabamento escuro, listra Edge Red no contorno do aro e tampas comemorativas no centro.

Dentro do cockpit, ambas as versões podem ser equipadas com bancos GT2 revestidos de couro cerâmico em dois tons ou Sport, inserções de microfibra nos assentos, costuras vermelhas por toda parte do acabamento interno, cintos de segurança também vermelhos e volante com textura aparente da fibra de carbono.

Pacote opcional inclui logotipos exclusivos, pinças de freio e conjunto de malas

Adicionalmente, o Corvette 70th Anniversary Edition pode trazer um pacote especial com plaquetas de identificação especiais (badgets), incluindo o distintivo do Corvette com bandeiras quadriculadas (crossflags); logotipo da edição de 70º aniversário nos bancos, volante e soleiras; pinças de freio com acabamento vermelho Edge Red; protetores do parachoque traseiro e da tampa do porta-malas; e conjunto de bagagem personalizado com costura vermelha e logotipo da edição especial.

Fora isso, todos os Corvette 2023, memo os não equipados com o pacote 70th Anniversary Edition, contarão com uma placa comemorativa localizada na grade do alto-falante central e um logotipo impresso na janela traseira.

Motor de 5,5 litros despeja 670 cv é o o V-8 aspirado mais potente em um carro de produção

O Corvette 2023 é impulsionado pelo novo V-8 LT6 de 5,5 litros, que despeja a potência de 670 cv a 8.400 rpm e torque máximo de 63,5 kgf.m a 6.300 rpm, tornando-se o motor dessa configuração, naturalmente aspirado, mais poderoso disponível em um carro de produção.

Cada motor LT6 recebe uma placa de identificação junto ao coletor de admissão com a assinatura do técnico que executou sua montagem do início ao fim.

Esta foi 33ª vez que um modelo da Chevrolet foi utilizado como pace car

O pace car que Ericsson levou para casa é um Z06 2023 70th Anniversary Edition, com pintura na cor branco perolizado, e que inclui o pacote de acessórios comemorativos.

Além do logotipo da Indy500 nas portas, o pace car também foi customizado com listras assimétricas criadas pelo Estúdio de Design de Desempenho da Chevrolet.

Pace car foi equipado com asa traseira de carbono e discos de freio com cerâmica

Para oferecer o máximo desempenho na pista, o exemplar que comandou o ritmo na 106ª edição da 500 Milhas de Indianápolis ainda foi equipado com asa traseira de fibra de carbono, apêndices aerodinâmicos no assoalho para aumentar a aderência ao asfalto (efeito-solo), e discos de freio com compósitos de fibra de carbono e cerâmica, entre outros componentes.

Marcus Ericsson: vitória com Honda, mas Chevrolet Corvette como um dos troféus

“A Equipe Chevrolet tem orgulho de acelerar a 500 Indianápolis pela 33ª vez, enquanto comemora os 70 anos de Corvette”, disse Steve Majoros, vice-presidente de Marketing da Chevrolet. “É justo que prova seja a corrida de estreia do Corvette Z06 de 2023, um momento verdadeiramente especial para os fãs do modelo e da Indycar em todo o mundo.”

E, mesmo que o novo campeão da Indy500 tenha vencido com motor Honda, difícil acreditar que ele não ficou feliz com esse presentão de aniversário oferecido pela concorrência.

Fonte: Chevrolet Global e Indianapolis Motor Speedway I Edição: Fábio Ometto I Imagens: Divulgação