GP de São Paulo de F1 terá 100% de público, mas só para vacinados

Além do comprovante da imunização contra Covid-19, será obrigatório teste válido e uso de máscaras. Prova acontecerá em novembro, incluindo a nova sprint race

GP de São Paulo de F1 terá 100% de público, mas só para vacinados

O Grande Prêmio de São Paulo 2021, novo nome oficial da etapa brasileira da Fórmula 1, está confirmado para este ano no Autódromo de Interlagos, em novembro, e com a presença de 100% do público. O anúncio foi feito hoje, em entrevista coletiva promovida pelo governo do estado e a prefeitura paulistana.

Para acessar as arquibancadas, no entanto, o público será obrigado a usar máscara e terá a temperatura medida nos três dias do evento (sexta-feira, sábado e domingo), além das apresentações do comprovante de vacinação contra a Covid-19 e do teste negativo, feito até 48 horas antes.

Agora chamada de Grande Prêmio São Paulo, prova acontecerá em novembro, em Interlagos

Ao mesmo tempo, mesmo com a confirmação do GP de São Paulo para os dias 5 a 7 de novembro pelo comando da Fórmula 1, os promotores no Brasil informaram o pedido adiamento do evento para o fim de semana seguinte, entre 12 e 14, para coincidir com o feriado estendido de 15 de novembro – como vinha acontecendo, sempre que possível, até 2019, para incentivar a vinda de mais visitantes de outras partes do país. No ano passado, por causa da pandemia do novo coronavírus, a prova não foi realizada no Brasil.

A ideia é fazer a troca de datas com o GP do México, que seria antecipado no calendário para o dia 7 de novembro, passando o GP São Paulo para a semana seguinte. Segundo o governo do estado, a mudança aumentaria em até 25% o impacto financeiro para a economia local. A proposta está sendo analisada pela direção da categoria e a resposta deve ser anunciada até o dia 26 de agosto.

O estudo da Fundação Getulio Vargas (FGV) com base em dados de 2019, divulgados durante a coletiva, aponta que a Fórmula 1 gera mais de oito mil empregos temporários e a receita em torno de R$ 670 milhões.

Etapa brasileira incluirá a sprint race,, no sábado, novidade deste ano na categoria

Outra novidade também já confirmada para o GP São Paulo deste ano será a sprint race, prova curta realizada no sábado e que define a ordem de largada para a corrida do domingo, além de distribuir pontos extras.

O novo modelo de competição, que busca trazer mais emoção ao público, estreou no mês passado, na Inglaterra, e será adotado, também, no GP da Itália, no dia 12 de setembro. Dessa forma, ao menos este ano, as sprint races ficarão restritas a três circuitos “de raiz” da F1: Silverstone, Monza e Interlagos. O Grande Prêmio do Brasil foi realizado pela primeira vez em 1972, no circuito paulistano, ainda sem valer para o Mundial. No ano seguinte, no entanto, a prova passou a fazer parte do calendário oficial da categoria.

Primeira corrida de F1 no Brasil foi disputada em 1972, vencida por Emerson Fittipaldi

Além de todas as restrições sanitárias, os interessados em assistir à prova nas arquibancadas devem ficar atentos em relação à compra de ingressos. Três lotes já foram vendidos e uma nova remessa, com cerca de 20 mil entradas, será disponibilizado a partir do dia 27 de agosto, ao meio-dia, somente para quem estiver cadastrado na lista de espera disponível no site oficial do GP de São Paulo. O ingresso mais barato sai por R$ 325, e dá acesso à arquibancada G, localizada no final da Reta Oposta, apenas no domingo.

Fonte: Agência Brasil I Edição: Fábio Ometto I Imagens: Divulgação