Honda completa 50 anos de presença no Brasil

Atualmente, são três fábricas no país e mais de 27 milhões de veículos entregues no mercado nacional. Para marcar data, empresa lança filme mostrando sua trajetória

Honda completa 50 anos de presença no Brasil

Cinco décadas de atuação marcam a presença da Honda no mercado nacional. E para comemorar, a marca japonesa acaba de lançar uma campanha especial em suas redes sociais.

Na estreia, a Honda apresenta um vídeo elaborado em técnica de foto colagem que relembra os principais fatos históricos da empresa no Brasil, além de trazer a visão de futuro da marca para a mobilidade. Assista:

A campanha também conta com um selo comemorativo, que reforça elementos de brasilidade em suas cores e linhas, além de expressar a força dos 50 anos da empresa.

Para os canais digitais, o selo também possui uma versão em animação, que mostra a evolução da empresa ao longo destas cinco décadas ao passar por suas unidades de negócio e realizações.

A peça ainda é acompanhada do slogan Sonhos que Movem Gerações, escolhido a partir de concurso interno com os colaboradores Honda em todo país. Até o final do ano, as páginas corporativas da Honda nas redes sociais também apresentarão uma série de conteúdos especiais sobre a trajetória da empresa no Brasil.

Honda CB 750 Four, uma das primeiras máquinas importadas pela marca para o país

O ano era 1971 e, após ganhar a confiança de milhares de clientes nos continentes asiático, europeu e norte-americano, a Honda chegou ao Brasil. No dia 26 de outubro, em um pequeno escritório estabelecido no bairro da Pompéia, na cidade de São Paulo, a empresa deu início às operações da Honda Motor do Brasil Ltda em solo nacional.

As primeiras motocicletas Honda desembarcaram no Porto de Santos (SP), trazendo toda a tecnologia japonesa, que não demorou muito para conquistar os brasileiros. E não era por menos: o primeiros modelos a chegar oficialmente aqui poderosas CB 750 Four (lançada mundialmente dois anos antes), 500 Four e CB 350, que logo se tornaram objeto máximo dos desejos dos motociclistas mais experientes, enquanto as pequenas CB 125, ST 70 e CB 50 formavam uma legião de novos fãs do guidão. Logo, as motocicletas da marca foram popularizadas, e se iniciava ali uma trajetória de crescimento não só da empresa, mas também do mercado de duas rodas no Brasil.

Linha de montagem da Honda em Manaus

Em meados de 1975 uma “canetada” dada em Brasília mudou a legislação das importações, do dia para noite, proibindo, a partir de então, trazer do exterior qualquer tipo de veículo – carro ou moto. Assim, em 1976 a Honda inaugurou sua primeira fábrica brasileira, a Moto Honda da Amazônia, levando para a cidade de Manaus (AM) todo conhecimento global de fabricação, qualidade de produto e visão de negócios da empresa.

“Quando a Honda se instalou em Manaus, iniciou-se um extenso programa de desenvolvimento local. Além da construção de uma fábrica e da atividade fabril em si, houve a capacitação de profissionais, o aprimoramento conjunto com a cadeia de fornecimento e a implantação de projetos para preservação ambiental, contribuindo para o incremento socioeconômico de toda região”, comenta Issao Mizoguchi, atual conselheiro executivo da Honda South America e o primeiro brasileiro nomeado CEO da empresa na América do Sul, cargo que ocupou entre abril de 2014 e março de 2021.

Honda CG 125, modelo que inaugurou a produção em Manaus, em 1976

Hoje, a Moto Honda da Amazônia é um complexo industrial que vai muito além da montagem de motocicletas. A unidade é a mais verticalizada em produção de motos Honda no mundo, fabricando desde embalagens metálicas, moldes, ferramentas, tubos estruturais, até vários componentes como escapamentos, rodas, guidões e chassis, entre outros. E, desde 2001, também são fabricados lá os Produtos de Força Honda (geradores).

O primeiro modelo produzido pela Honda em solo nacional, a motocicleta CG 125, também completa 45 anos de existência e é o veículo mais vendido do Brasil entre todas as categorias (carros, motos, comerciais etc.), com mais de 13 milhões de unidades.

Importação do sedã Accord, em 1992, iniciou a operação de automóveis da marca no país

O sucesso no segmento de motocicletas abriu caminho para a Honda iniciar no Brasil sua operação de automóveis. Em 1992, foi a vez do Honda Accord desembarcar no porto de Santos (SP), como o primeiro automóvel importado pela marca.

Em 1997, a Honda expandiu a atuação também no mercado de quatro rodas, inaugurando sua primeira fábrica de automóveis, na cidade de Sumaré (SP). A operação teve início com a produção de 20 unidades do modelo Honda Civic, então em sua sexta geração, saindo diariamente da linha de montagem. E não parou por aí. Em 2019, a marca inaugurou a segunda fábrica de automóveis no país, na cidade de Itirapina (SP).

O SUV compacto WR-V é um dos modelos produzidos pela marca no Brasil

Ao longo desses 50 anos, a Honda Automóveis acumula mais de 2 milhões de veículos entregues e oferece emseu catálogo uma completa gama de produtos nacionais, entre SUVs, sedãs e monovolume; além dos importados CR-V e Accord, esse último recentemente confirmado com motorização híbrida, dando início ao processo de eletrificação dos automóveis Honda no país.

Atualmente, a marca possui uma rede de concessionárias com mais de 1.300 pontos de venda em todas as regiões do Brasil.

HondaJet Elite S

Desde 2015, reforçando seus atributos únicos no campo da mobilidade, a Honda conta, no Brasil, com a comercialização do HondaJet.

O jato executivo mais avançado de sua categoria é fabricado pela Honda Aircraft Company, nos Estados Unidos, e comercializado no Brasil pela Líder Aviação no Brasil, representante local de vendas .

Honda GL 1800 Gold Wing é o modelo de topo da linha de motocicletas da marca no Brasil

1971 – Começa a funcionar a Honda Motor do Brasil Ltda, responsável pela importação e distribuição dos produtos Honda no país. No início apenas motocicletas e, dois anos mais tarde, também produtos de força

1976 – Após o veto à importação de motocicletas pelo governo militar em 1975, a Honda antecipou seu projeto de iniciar a produção nacional e inaugurou, no ano seguinte, a fábrica de motocicletas Honda em Manaus (AM), dando origem à primeira moto Honda “Made in Brazil”, a CG 125. Desde então, o modelo se tornou o veículo motorizado mais vendido do país

1981 – Nasce o Consórcio Honda para facilitar o acesso da população às motocicletas da marca

1987 – Início das atividades da Seguros Honda

1992 – Chegavam ao Brasil os primeiros automóveis importados da Honda, com o modelo Honda Accord

1997 – É inaugurada a fábrica da Honda Automóveis do Brasil em Sumaré, interior de São Paulo. A empresa iniciou suas operações com a produção do Honda Civic

1998 – Inauguração do o 1º Centro Educacional de Trânsito Honda (Ceth), em Indaiatuba (SP

2000 – Fundação do Banco Honda

2006 – Honda inaugura em Recife (PE) os centros de treinamento para a rede de concessionárias, de distribuição de peças e o segundo centro educacional (Ceth)

2008 – Inauguração da unidade de produção de trem de força (powertrain) de automóveis, com foco nas atividades de fundição e usinagem dos blocos e cabeçotes dos motores

2013 – É inaugurada em Manaus a terceira unidade do Centro Educacional de Trânsito Honda (Ceth) e o novo Centro de Desenvolvimento e Tecnologia (CDT) de motocicletas

2014 – Inauguração do parque eólico da Honda Energy do Brasil, em Xangri-Lá (RS).  O projeto é o primeiro do grupo Honda no mundo e do setor automotivo nacional

2014 – Em Sumaré, é inaugurado novo Centro de Pesquisa & Desenvolvimento de automóveis Honda

2015 – É inaugurada a nova sede da Honda South America, em Sumaré, no mesmo complexo produtivo da Honda Automóveis do Brasil

2015 – Início das vendas do jato executivo HondaJet no Brasil, por meio da Líder Aviação, nomeada representante da aeronave produzida pela Honda Aircraft Company, nos Estados Unidos

2019 – Inauguração da nova fábrica de automóveis da Honda em Itirapina (SP)

2020 – Honda alcança o marco de 25 milhões de motocicletas e 2 milhões de automóveis produzidos em solo nacional

Fonte: Honda do Brasil I Edição: Fábio Ometto I Imagens: Divulgação