TV Cultura é a nova casa da Fórmula Indy no Brasil

A partir do próximo domingo (18), emissora transmitirá ao vivo toda temporada de 2021, que terá três brasileiros no grid. Veja o calendário nos horários de Brasília

A TV Cultura é a nova casa da Fórmula Indy no Brasil

A Fórmula Indy tem um novo endereço para as transmissões no Brasil. Após se tornar o canal oficial da Fórmula E no País – a categoria dos carros movidos 100% a eletricidade -, a TV Cultura, emissora pública do estado de São Paulo, agora anuncia o acordo para exibir, ao vivo, também a temporada 2021 da Fórmula Indy, principal competição de monopostos dos Estados Unidos e considerada a mais veloz do mundo.

O Grande Prêmio do Alabama vai marcar a abertura da temporada de 2021 da competição no próximo domingo (18), a partir das 16h30, com largada às 17h. Na semana passada, a categoria realizou os primeiros testes de preparação para a famosa 500 Milhas Indianápolis, que acontece em 30 de maio.

Principal corrida da temporada, a 500 Milhas de Indianápolis acontecerá em 30 de maio

O calendário da Fórmula Indy (detalhado no final do texto) inclui circuitos ovais, mistos e de rua, o que exige dos pilotos e das equipes diferentes técnicas de pilotagem e de ajustes dos carros. Os monopostos são equipados com motores fornecidos pela Chevrolet e pela Honda, que mantêm a configuração de 2,2 litros de cilindrada, com seis cilindros em V, biturbo, movido por uma mistura de etanol (85%) e gasolina, gerando a potência estimada entre 500 e 700 cavalos, a depender da pressão do turbo utilizada.

Em relação ao chassi, feito integralmente de materiais compostos de fibra de carbono, todas as equipes utilizam o mesmo modelo IR-12, produzido pela italiana Dallara.

Temporada deste ano terá 17 etapas, com a participação de 33 pilotos e 15 equipes

Na temporada 2021, serão realizadas 17 provas, das quais 16 nos Estados Unidos e uma no Canadá. A centenária 500 Milhas de Indianápolis é a prova mais tradicional da categoria, na qual os carros ultrapassam os 380 km/h de velocidade máxima.

Ao todo, estão inscritos 33 pilotos, distribuídos por 15 equipes, mas alguns deles participarão apenas em algumas provas, em sistema de revezamento.

Hélio Castroneves correrá pela equipe Meyer Shank

É o caso, por exemplo dos três brasileiros que participarão da temporada deste ano: Hélio Castroneves, Tony Kanaan e Pietro Fittipaldi. Com exceção de Helinho, que disputará provas também em circuitos mistos, Tony e Pietro disputarão apenas as corridas em ovais. Felizmente, todos eles já estão escalados para a Indy500.

O paulista de Ribeirão Preto Hélio Castroneves, de 45 anos, ganha mais uma oportunidade de buscar seu quarto triunfo em Indianápolis e se tornar um dos maiores vencedores da história da prova. Após mais de 20 anos de contrato com a poderosa Penske, o “Homem-aranha” (como ficou conhecido por comemorar as vitórias escalando o alambrado junto às arquibancadas) correrá agora pela equipe Meyer Shank.

Tony Kanaan dividirá a temporada entre a F-Indy e a Stock Car no Brasil

Tony Kanaan, de 46 anos, vencedor do campeonato da Indy em 2004 e da Indy500 em 2013, defenderá a atual equipe campeã Chip Ganassi nos circuitos ovais. Nas outras onze etapas da temporada, o carro nº 48 será conduzido por Jimmie Johnson, sete vezes campeão da Nascar (a principal categoria de turismo dos EUA, equivalente à nossa Stock Car), e que fará sua estreia na Indy.

Confirmado como piloto da Haas na F1, Pietro Fittipaldi correrá pela Dale Coyne, na Indy

Nascido em Miami, mas com nacionalidade brasileira, o mais jovem dos nossos representantes, Pietro Fittipaldiretorna à Indy pela Dale Coyne, após dois anos afastado dos ovais. O neto de Emerson, primeiro brasileiro a vencer na Indy, dividirá o carro com o francês Romain Grosjean, que estreia na Indy depois de uma carreira atribulada na Fórmula 1, encerrada com o impressionante acidente no GP do Bahrein do ano passado, quando conseguiu escapar sozinho do carro envolvido pelas chamas.

O motivo de os brasileiros disputarem apenas algumas provas na temporada da Indy é que os três participam de outras categorias em 2021: Helinho na Imsa (categoria de carros esporte dos Estados Unidos), onde venceu em janeiro a famosa 24 Horas de Daytona; o baiano Kanaan estreará em uma temporada completa na Stock Car brasileira; e Pietro foi confirmado, novamente, como piloto reserva da equipe Hass da F1, pela qual disputou os dois últimos GPs do ano passado – coincidentemente, substituindo Grosjean, que se recuperava do acidente, e que este ano alternará com ele o carro da Dale Coyne.  

Outros destaques da F-Indy para este ano são os retornos do bicampeão Juan Pablo Montoya à categoria, pela equipe McLaren, e de Simona de Silvestro, única mulher no grid, com o carro da Paretta Autosport.

Emerson Fittipaldi foi o primeiro brasileiro a vencer e ser campeão na F-Indy

Depois de quase 40 anos de transmissão pelo Grupo Bandeirantes de Comunicação – que começou a exibir as provas da Indy para o Brasil em meados da década de 1984, junto com a chegada de Emerson Fittipaldi à categoria -, este ano a emissora decidiu não renovar o compromisso, por conta dos baixos índices de audiência. Em contrapartida, a Band incorporou a Fórmula 1 e a Stock Car à sua grade de programação, recém-saídas da TV Globo.

De acordo com a retrospectiva feita pelo jornalista Gabriel Vaquer, em sua coluna no portal UOL, a Band transmitiu a temporada a Indy até 1992. Nos dois anos seguintes, a categoria passou a ser exibida pela TV Manchete. Com a falência da emissora fluminense, o SBT assumiu as transmissões em 1995 e ficou até 2000, época em que o Brasil chegou a ser representado por cinco pilotos no grid e, também, recebeu a primeira prova da Fórmula Indy no país, em 1996, no anel externo do extinto circuito de Jacarepaguá, no Rio de Janeiro, vencida pelo paulista André Ribeiro.

André Ribeiro venceu a primeira prova da Indy no Brasil, em Jacarepaguá, no Rio

No início da década de 2000, a Fórmula Indy voltou para a Band, onde permaneceu até o fim de 2020, sendo que na última temporada apenas a 500 Milhas de Indianápolis foi transmitida em sinal aberto, e as demais etapas pelo canal por assinatura Band Sports.

Ainda assim, segundo o colunista do UOL, o Brasil é um dos maiores mercados da categoria fora dos Estados Unidos, juntamente com Canadá e México.

Testes pré-temporada aconteceram na semana passada, em Indianápolis

As transmissões da Fórmula Indy pela TV Cultura terão a narração de Geferson Kern e comentários do jornalista especializado Rodrigo Mattar.

Confira o calendário da Fórmula Indy 2021, incluindo as transmissões pelo horário de Brasília:

EtapaDataLocal (Tipo)Largada
18/4Alabama (Misto)17h
25/4São Petersburgo (Misto)13h
1º/5Texas (Oval)21h
2/5Texas (Oval) 19h
15/5Indianápolis (Misto) 15h30
30/5500 Milhas de Indianápolis (Oval) 12h
12/6Detroit – corrida 1 (Rua)15h
13/6Detroit – corrida 2 (Rua) 13h
20/6Road America (Misto) 14h
10ª04/7Mid-Ohio (Misto) 13h
11ª11/7Toronto (Rua) 13h
12ª8/8Nashville (Rua) 19h30
13ª14/8Indianápolis (Misto) 13h30
14ª21/8Madison (Oval) 22h
15ª12/9Portland (Misto) 19h
16ª19/9Monterrey (Misto) 19h
17ª26/9Long Beach (Rua) 19h

Fontes: TV Cultura, IndyCar e UOL I Edição: Fábio Ometto I Imagens: Divulgação