Lamborghini Countach LP 500 completa 50 anos

Eleito esportivo mais atraente de todos os tempos, modelo é famoso pelo design em cunha e portas "tesoura", além do furioso V-12 de 5 litros e máxima de 300 km/h

Lamborghini Countach LP 500 completa 50 anos

A partir de hoje, o universo dos supercarros ganha mais um modelo famoso em sua galeria de cinquentões. Em 11 de março de 1971, momentos após a abertura do Salão do Automóvel de Genebra, na Suíça, foi avistada a estrela mais brilhante do evento: o surpreendente Lamborghini Countach LP 500, revelando seu arrojado desenho anguloso e pontiagudo, com apenas 1,07 m de altura total, realçado sob uma radiante pintura amarela.

Pontualmente às 10h da manhã, o protótipo do superesportivo futurista fez sua primeira apresentação ao público no espaço de exibição da Carrozzeria Bertone, renomado estúdio de design italiano, criador de joias sobre rodas como Ferrari 250 GT Berlinetta Lusso, Alfa Romeo Carabo – precursor do design em forma de cunha do Countach -, Lancia Stratos, Citroën XM e ZX, Lambretta Grand Prix DL e de outras pratas da casa Lamborghini, tais como os também cultuados Miura e Diablo.

Modelo conceito do Lamborghini Countach LP 500 foi revelado no Salão de Genebra de 1971

A decisão de revelar o Countach LP 500 no espaço da Bertone foi motivada pelo fato de que o estande da Lamborghini apresentava o mais novo lançamento da casa do “Touro Furioso”: o Miura SV, reestilizado após cinco anos de produção. Com a dupla estreia, a Lamborghini reafirmou sua valentia não apenas na produção de superesportivos, mas, especialmente, em inovação, de tal forma que, meses após à avant première em Genebra, o Countach LP 500 já estampava todas as capas de revistas internacionais sobre carros.

A amostra do LP 500 foi tão bem recebida que a marca de esportivos criada por Ferruccio Lamborghini, a partir de sua fábrica de tratores, correu contra o tempo para atender os desejosos compradores e transformar o modelo conceito em um carro de produção, ainda que em séries limitadas.

Design inovador do estúdio Bertone se destacava pelo formato em cunha e portas “tesoura”

O projeto Countach, cujo número de código interno era LP112 – onde LP vem de Longitudinale Posteriore, que significa “longitudinal traseiro”, em italiano, por causa da posição do motor de 12 cilindros em V -, nasceu do desejo de Ferruccio em manter a imagem de sua empresa na vanguarda do estilo e da tecnologia após o sucesso do Miura, lançado em 1966.

No comando do desenvolvimento do Countach em tempo recorde estava o engenheiro Paolo Stanzani, que trabalhava na marca de esportivos desde a sua fundação, em 1963, e cinco anos depois elevado à posição de gerente geral e diretor técnico da fábrica instalada em Sant’Agata Bolognese – nas cercanias de Modena, ao norte da “velha bota”, onde também fica Maranello, quartel-general da arquirrival Ferrari -, sendo responsável por toda a mecânica do LP 500.

Modelo produzido a partir de1974 trazia entradas de ar “Periscopio” e motor V-12 de 4 litros

As linhas belas, limpas e futuristas do Countach, mesmo após cinco décadas, foram traçadas por Marcello Gandini, diretor de design do estúdio Bertone. O projetista também foi responsável pela decisão de usar as portas com abertura “em tesoura” – ou “asas de gaivota”, como também são conhecidas -, as quais, desde então, caracterizam os modelos da Lamborghini com motor de 12 cilindros.

O LP 500 era um carro substancialmente diferente do Countach que entraria em produção em 1974. Ele tinha chassi do tipo de plataforma ao invés de estrutura tubular e apresentava entradas de ar laterais com desenho de guelras de tubarão. Por dentro, trazia uma sofisticada instrumentação eletrônica. O motor era o V-12 de 4.971 cm³ de cilindrada (único do tipo a equipar um carro de produção, na época), naturalmente aspirado, duas válvulas por cilindro, alimentado por seis carburadores Weber, que rendia 449 cv de potência e 50,4 kgf.m de torque. A transmissão era manual, com cinco velocidades e tração traseira.

Belo protótipo 001 do Lamborghini Countach, o LP 500, foi destruído no crash-test

A origem do nome vem do dialeto da região italiana do Piemonte, próxima à fronteira com a França. Em suas fases finais de montagem, o carro foi escondido no galpão para maquinário agrícola de uma fazenda próxima a Grugliasco, na província de Turim (também no norte da Itália), para evitar possíveis ações trabalhistas relacionadas ao ritmo ininterrupto dos colaboradores envolvidos no projeto, e foi descoberto por um fazendeiro que exclamou com um surpreso e entusiasmado Countach!, termo que na linguagem local expressa deslumbramento, como se fosse o nosso “caramba!”.

Quando o desiner Macello Gandini, nascido no Piemonte, tomou conhecimento do fato, imaginou que esta palavra tinha uma estupenda força comunicativa e convenceu Nuccio Bertone (filho de Giovanni, fundador do estúdio de design que leva seu sobrenome), Stanzani e, obviamente, il capo Ferruccio Lamborghini disso. E, dessa forma, até hoje, o Countach é o único modelo da Lamborghini a não receber o nome de uma raça de touro, animal que é o símbolo zodiacal de Ferruccio – daí sua escolha como símbolo da marca.

Design inovador do Countach era marcado pelas linhas ousadas e ângulos acentuados

Em seguida ao sucesso do LP 500 em Genebra, o piloto de testes chefe Bob Wallace passou a usar o protótipo nº 001 equipado com o motor V-12 de 4 litros, mais confiável, para todos os tipos de testes de pista.

A carreira deste extraordinário carro acabou no início de 1974, quando foi enviado para o crash-test (teste de impacto), exigido para a homologação com vistas à produção do modelo; depois disso, o Countach primogênito foi escrapiado – o que significa “destruído”, no jargão da engenharia.

Sofisticado interior do Countach LP 400 trazia inovações eletrônicas

A primeira geração do Countach, chamada oficialmente de LP 400, foi produzida de 1974 a 1978, no total de 151 unidades. O modelo definitivo mantinha intacta a aparência em forma de cunha, mas trazia como mudança mais visível em relação ao LP 500 as tomadas de ar laterais salientes, em forma de caixa, fazendo com que o modelo ficasse conhecido como “Periscopio”, em alusão ao instrumento óptico utilizado nos submarinos, enquanto estão imersos, para visualização acima do nível da água.

Motor V-12 de 4 litros da primeira geração do Countach LP 400 rendia 375 cv

Seu motor passava ser, definitivamente, o V-12 de 3.929 cm³ de deslocamento, gerando 375 cv. A velocidade máxima de 309 km/h e a aceleração de zero a 100 km/h em 5,4 segundos demonstravam que o LP 400 não apenas ostentava o visual distinto e fascinante, mas, também, entregava o desempenho coerente com o design arrojado.

O primeiro Countach LP 400 a sair da linha de produção foi parar nas mãos de um endinheirado cliente australiano, segundo o almanaque “1001 carros para dirigir antes de morrer”, publicado pela editora Sextante, em 2013.

Lamborghini Countach: o mais atraente esportivo de todos os tempos

Até 1990, 1.999 unidades do Lamborghini Countach foram produzidas em cinco diferentes séries, representando um modelo que permitiu à Lamborghini sobreviver aos mais difíceis anos de sua história, ao lado do Miura, e entrar definitivamente no hall das lendas sobre rodas – além de estampar as paredes do quarto de uma geração, ser uma das cartas mais desejadas do Super Trunfo (jogo que também fez parte da infância de muitos que leem esta matéria) e de ser visto em dezenas de filmes.

Ainda de acordo com o almanaque “1001”, o Countach – com seu design inovador, portas asas de gaivota e aceleração potentíssima – foi eleito em 2010 o primeiro colocado na lista dos 100 carros mais atraentes de todos os tempos da revista especializada britânica Top Gear.

Criado em 2015, Lamborghini Polo Storico se dedica a manter os clássicos da marca

Hoje, a preservação da herança da marca está a cargo do Lamborghini Polo Storico, aberto em 2015. A restauração e certificação de todos os Lambo produzidos até 2001 são parte do trabalho empenhado pelo departamento.

A divisão também se dedica à reconstrução de peças de reposição para os modelos antigos da Lamborghini, com cerca de 200 novos códigos incluídos a cada ano, bem como à preservação do arquivo – atividades com que o Polo Storico busca manter a preservação dos modelos clássicos da marca do “Touro Furioso”.

ModeloLamborghini Countacj LP 500
Origem Itália
Preço 
básico
N/D
CarroceriaCupê fastback, 2 portas com abertura “asa de gaivota”, 2 ocupantes
C/L/A/Ee4.010 mm I 1.890 mm I 1.070 mm I 2.450 mm
Peso1.320 kg
MotorTraseiro, longitudinal, 12 cilindros em V, 4.971 cm³, gasolina, 2 válvulas por cilindro com duplo comando nos cabeçotes (Dohc), seis carburadores, refrigerado a líquido
CâmbioManual, 5 velocidades
Potência 449 cv a 7.400 rpm
Torque50,4 kgf.m a 5.000 rpm 
Peso-potência2,93 kg/cv
0 a 100 km/h4,3 seg 
Vel. máxima300 km/h

Fonte: Automobili Lamborghini, Automobili Catalog e 100 Carros para Dirigir Antes de Morrer I Tradução e edição: Fábio Ometto I Imagens: Divulgação e Sotheby´s