Fórmula 1: Lewis Hamilton faz história. De novo

Piloto britânico hexacampeão do mundo conquistou hoje sua 91ª vitória na Fórmula 1, equiparando-se ao recorde de Michael Schumacher estabelecido 14 anos atrás

Lewis Hamilton faz história. De novo

A história escrita ao vivo e em rede mundial. Quem assistiu ao inédito (apenas no nome) Grande Prêmio de Fórmula 1 de Eifel, disputado nesta manhã no velho e conhecido circuito de Nürburgring, na Alemanha, acompanhou, em tempo real, a impressão de mais uma página marcante da principal categoria do automobilismo mundial – daquelas que se dobra o canto da folha para destacar –, pelas mãos, pés, mente e coração de Lewis Hamilton, piloto da AMG-Mercedes. O nome inédito da prova faz referência à região onde está localizado o lendário circuito, uma vez que o já conhecido “G.P. da Alemanha” não pode ser utilizado por pertencer aos promotores da corrida no autódromo de Hockeinhem.

Em mais uma exibição de gala, o piloto britânico igualou o recorde de 91 vitórias de Michael Schumacher, completando as 60 voltas em 1h35min49s641, com 4s470 de vantagem sobre Max Verstappen, da Red Bull Racing, e 14s613 adiante de Daniel Ricciardo.

Largada do GP de Eifel de Fórmula 1

Logo após a largada, o pole position Vallteri Bottas, também da Mercedes, manteve a posição à frente de Hamilton, mas foi ultrapassado pelo hexacampeão na 13ª volta, após bloquear a roda dianteira direita na freada para a curva 1. Seis voltas depois, o finlandês foi obrigado a recolher o carro no box, com problemas na unidade de potência – a primeira da marca alemã nesta temporada.

A partir daí, Hamilton manteve um ritmo relativamente confortável a caminho de sua vitória histórica, mantendo-se à frente na relargada após a intervenção do carro de segurança – provocada pelo abandono de Lando Norris, da McLaren, na volta 44.

Mick Schumacher, filho do heptacampeão, presenteia Hamilton com o capacete do pai

E quis o destino que o feito de Hamilton tivesse como cenário justamente a Alemanha de Schumacher. A comovente vitória do piloto inglês aconteceu diante de Mick, filho do heptacampeão do mundo, que atualmente lidera o Campeonato de Fórmula 2 e está próximo de ser confirmado como companheiro de equipe de Kimi Raikkonen na Alfa Romeo para o ano que vem, substituindo Antonio Giovinazzi.

Após a cerimônia de premiação, Hamilton recebeu das mãos de Mick um dos capacetes de seu pai, em celebração à conquista. “É difícil colocar em palavras o que isto significa. Eu lembro de assistir Michael vencendo todas aquelas corridas quando eu era garoto, e de escolher correr como Michael quando jogava games de corrida com meu irmão. Eu sonhava estar lá, mas imaginava que nenhum outro piloto, especialmente eu mesmo, chegasse perto dos recordes de Michael”, confidenciou o inglês.

Inglês é o líder da temporada, com 230 pontos

“Foi além dos meus sonhos mais loucos alcançar este número de vitórias e isso apenas mostra que os sonhos podem se tornar realidade. É uma honra incrível e algo que levará algum tempo para cair”, comemorou o vencedor.

Depois da conquista de hoje e do recorde de 69 pole positions estabelecido em 2017, batendo o próprio Schumacher, resta agora ao piloto da Mercedes atingir o último número absoluto do piloto alemão, que são os sete títulos mundiais – façanha que, ao que tudo indica, será alcançada também este ano. Na etapa anterior, na Rússia, o Lewis deu mais um passo para a imortalidade na F1, largando pela 96ª vez da primeira posição.

Verstappen levou a Red Bull à segunda posição

Com a vitória em Nürbrugring, Hamilton lidera o campeonato de pilotos com 230 pontos, 69 pontos à frente de Bottas, o vice-líder. A terceira posição é de Verstappen, com 147.

E se o dia foi de felicidade para Hamilton, imagine para a Renault, por causa do pódio conquistado por Ricciardo, o primeiro da equipe após seu retorno à categoria em 2016, e o primeiro, também, do piloto australiano desde a sua vitória 2018, em Monaco, pela Red Bull.

Ricciardo foi o terceiro, com o Renault

Com isso, o diretor da equipe Cyril Abiteboul será obrigado a pagar a aposta feita com o piloto australiano antes do início da temporada, e decorar o próprio corpo com uma tatuagem, que terá o tamanho e o local definidos por ele mesmo, Cyril, mas com o desenho a ser escolhido por Ricciardo. Aguardemos.

A próxima etapa do mundial de Fórmula 1, 11ª da temporada, acontece entre os dias 23 e 25 deste mês, no estreante circuito de Portimão, em Portugal.

Fontes: Mercedes-AMG, Formula1.com I Tradução e edição: Fábio Ometto I Imagens: Divulgação e reprodução