Vendas de veículos cresceram 10,48% em 2019, diz Fenabrave

Além dos 2,1 milhões de automóveis emplacados, balanço inclui segmentos de motos, utilitários, caminhões, ônibus e implementos - esses com a maior alta, de 42% no ano

Vendas de veículos cresceram 10,48% em 2019, diz Fenabrave

O total de vendas de veículos no Brasil apresentou um aumento de 10,48% em 2019, na comparação com o ano anterior. O balanço anual foi divulgado nesta quinta-feira (2), pela Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores, a Fenabrave.

O segmento de automóveis confirmou a tendência de alta nas vendas em dezembro, com 215.348 emplacamentos, ante os 196.757 de novembro, elevação de 9,45%; em relação a dezembro de 2018, quando foram comercializados 189.373 veículos, o movimento foi ainda mais positivo, com elevação de 13,72%.

Segmento de automóveis apresentou crescimento de 7,63% em relação a 2018

Em números totais, entre janeiro e dezembro de 2019, foram vendidos 2.261.967 de automóveis dentro do mercado nacional, contra 2.101.635 acumuladas no ano anterior, resultando na alta de 7,63%.

Trata-se do melhor desempenho do segmento de automóveis desde 2014, quando foram comercializados 2.795.129 veículos de passeio, mas ainda 29% abaixo do recorde de vendas registrado em 2012 no país, com 3.115.506 unidades.

Incluindo os comerciais leves, a alta foi de 7,65%

Se somados os veículos comerciais leves ou utilitários – como furgões, vans e caminhões com capacidade bruta de até 3,5 toneladas -, o total de emplacamentos em 2019 sobe para 2.658.927 (contra 2.470.005 em 2018), elevação de 7,65% – mas ainda bastante inferior aos 11% projetados pela entidade no início do ano passado.

No último mês de dezembro, foram comercializados 36.626 veículos dessas categorias, aumento de 7,25% em relação a novembro (com 34.150), e de 3,26% se comparado com o mesmo período de 2018, que teve 35.468 utilitários vendidos.

Setor de motos obteve grande retomada, com aumento de 14,59% nas vendas

O setor de duas rodas também mostrou uma retomada consistente, com aumento de 14,59% em unidades emplacadas, na comparação entre os dois últimos anos. Entre janeiro e dezembro de 2019, foram comercializadas 1.077.553 motocicletas, contra 940.394 do igual período anterior.

Apenas em dezembro, foram emplacadas 94.109 unidades, alta de 6,43% em relação ao mês antecedente. Já na comparação com o mesmo período de 2018, quando foram vendidas 84.061 motos, o crescimento praticamente dobra, com 11,95%.

Entre os veículos comerciais, números de emplacamentos aumentou 33,12%

Visto como um dos parâmetros mais precisos para aferir a tendência da economia do país – assim como o mercado de embalagens – o setor de transporte puxou a fila do crescimento de veículos no cenário nacional – consolidando, assim, a previsão de retomada do crescimento econômico do Brasil nos próximos meses.

O segmento de caminhões obteve o terceiro melhor desempenho de vendas entre todas as categorias de veículos avaliadas, com aumento de 33,12%. No total, foram emplacados 101.735 veículos de carga em 2019, contra 76.426 no ano anterior.

Transporte de passageiros teve o segundo melhor desempenho, com alta de 38,94%

O setor do transporte de passageiros conquistou a vice-liderança em número de emplacamentos de veículos, com crescimento de 38,94%.

Entre ônibus e micros, foram comercializados 27.193 veículos de janeiro a dezembro de 2019, superando em 7.621 unidades o mesmo período anterior, que fechou com 19.572.

Setor de implementos foi o campeão em crescimento, com 41,93% a mais nas vendas

Mas foi o segmento de implementos rodoviários que, no sentido literal da expressão, carregou o crescimento de vendas no mercado amplo de veículos de transporte (motorizados ou não), com impulso de 41,93% na comparação entre os dois últimos anos, turbinado diretamente pelo setor do agronegócio.  

No acumulado de 2019, foram comercializados 63.425 veículos complementares para carga – como carretas, bitrens e rodotrens, entre outros -, contra 44.689 unidades licenciadas no ano anterior. E este é um dos melhores sinais de que a economia está no rumo certo para o crescimento de 2,08% no Produto Interno Bruto (PIB) esperado para 2020 – se o cenário político nacional e o econômico no exterior assim permitirem.

Fonte: Fenabrave I Texto: Fábio Ometto I Imagens: Divulgação