Pistilli e Casarini vencem os 500 Km de Interlagos

Dupla do protótipo Spyder nº 151 assumiu a liderança na 17ª volta, do total de 116 da prova, e correu “sozinha” até a vitória. Corrida teve importados e clássicos no grid

Pistilli e Casarini vencem os 500 Km de Interlagos de 2019

Sérgio Pistilli e Deninho Casarini venceram neste sábado (21) a 35ª edição dos 500 Km de Interlagos, uma das mais importantes e tradicionais corridas de longa duração do país. A dupla, que se revezou na pilotagem de um Spyder preparado para a classe P3, largou da pole position, e assumiu a liderança da prova de forma definitiva na 17ª das 116 voltas da corrida disputada no Autódromo de Interlagos, em São Paulo, conquistando a primeira posição na classificação geral.

Apesar de esvaziada pela coincidência de datas com a prova final do Campeonato Brasileiro de Endurance, disputada no mesmo dia, no Autódromo de Curitiba, a prova dos 500 Km de Interlagos de 2019 contou com 31 carros inscritos. Além dos protótipos especialmente desenvolvidos para provas de resistência como o Spyder e MRX, reuniu no grid modelos de série nacionais como VW Gol e Fiat Línea, importados como o Mitsubishi Lancer, Audi A3 e Alfa Romeo 156, e até antigos, casos do VW Fusca e Brasília, Ford Maverick, e o clássico esportivo nacional Puma GTE.

Tradição na pista: edição deste ano dos 500 Km reuniu mais de 30 carros no grid

A dupla vencedora foi superada nos metros iniciais pelo Maverick de Luiz Fernando Baptista, o “Batistinha”, que largou da sexta posição. O veterano piloto do carro número 16 liderou a prova até a volta 17, quando abandonou a corrida.

A partir deste momento, Pistilli, responsável por abrir a corrida no Spyder 151, tomou a liderança e não teve mais adversários, garantindo a primeira vitória de ambos os pilotos nos 500 Km de Interlagos.

“Tivemos um ritmo bom desde o começo e o carro não teve nenhum problema”, comemorava Pistili. “O Sérgio me entregou o carro em condição bem favorável e preservamos o equipamento. O carro chegou pronto para largar de novo”, comemorou Deninho Casarini, filho do ex-piloto de motociclismo Denísio Casarini.

Segunda posição ficou para outro Spyder, pilotado por Roberto Dal Pont e Luiz Abbade

A segunda colocação ficou com Roberto Dal Pont e Luiz Abbade, dupla que se revezou na condução de um Spyder; Marco Scalamandré, Rodrigo Garcia e Fernando Julianelli, com um Lancer, completaram a corrida realizada no circuito localizado na zona sul paulistana em terceiro, e levaram a vitória entre os competidores da classe TFL.

“Eu não corria há uns vinte anos e foi muito legal obter este resultado”, dizia Julianelli. Scalamandré e Garcia, que pilotaram o Lancer nos 500 Km do ano passado, comentaram: “O carro foi todo revisado para este ano. Foi uma prova prazerosa”.

Protótipo Aldee da dupla Silvio Zambello e Paulo “Loco”, vencedores na classe P2

Paulo “Loco” Figueiredo e Sílvio Zambello, que venceram na divisão P2 com um protótipo Aldee e terminaram a corrida na quarta colocação, sendo seguidos pelo Gol de Carlos Vallone, Carlos Asciutti, Alê Fortunato e Edgard Amaral, que triunfaram na classe T2.0. Paulo “Loco” contou: “Começou tudo errado. Largamos do box, tivemos problemas com o cabo da embreagem e depois um amortecedor quebrou. Perdemos quatro voltas para trocar. Nas últimas 12 voltas, eu não tinha mais embreagem. Foi uma surpresa terminar tão bem”.

Silvio Zambello comemorou o resultado obtido na prova que foi idealizada por seu pai, Emilio: “Mantivemos um ritmo rápido e a última tocada do Paulo permitiu descontar a vantagem dos líderes da categoria”. Entre os pilotos do Gol, Asciutti comentou: “Foi uma corrida boa e deu tudo certo para nós. O carro é ótimo e andou perfeitamente”.

Clássico de fibra: Puma GTE recebeu a bandeirada na 18ª posição entre os 23 que chegaram

Jorge Machado e Luc Monteiro foram os sextos colocados com um Spyder. José Tinoco e Pipa Cardoso fecharam a corrida na sétima posição com um Spyder. Machado também foi o oitavo com outro Spyder, este dividido com Alejandro Cignetti.

O Audi A3 de Eduardo Bernasconi e Felipe Pilli completou em nono, enquanto o Fiat Línea, que teve a condução revezada entre Rodrigo Pereira, Renan Casetta e João Barret, fechou o grupo dos dez melhores.

Senhora de respeito: VW Brasília resistiu as 116 voltas e venceu na categoria T1.6

Marcelo Servidone, Luís Finotti e Marcelo Fortes foram os vencedores da classe T1.6 com uma Brasília, e ficaram com a 11ª posição geral. Servidone, que há dez anos acompanha as categorias de clássicos do automobilismo paulista, decidiu tirar carteira de piloto há um ano, motivado pela vontade de disputar os 500 Km de Interlagos.

“O Finotti acreditou e aqui estou”, brincava, feliz pelo resultado. Nem mesmo a quebra do câmbio, que ficou travado em terceira marcha nas vinte voltas finais, ameaçou a vitória do trio. Finotti, que estava ao volante, percebeu o problema, mas tinha vantagem suficiente para vencer e levou o carro sem maiores sustos até a bandeirada.

Pódio da classificação geral dos 500 Km de Interlagos 2019

Classificação final dos 500 Km de Interlagos:

1º – 151-Sérgio Pistilli/Deninho Casarini (Spyder/P3) – 117 voltas
2º – 10-Roberto Dal Pont/Luiz Abbade (Spyder/P3) – a 11 voltas
3º – 777-Marco Scalamandré/Rodrigo Garcia/Fernando Julianelli (Lancer/TFL) – a 13 voltas
4º – 7-Paulo “Loco” Figueiredo/Silvio Zambello (Aldee/T2.0) – a 14 voltas
5º – 222-Carlos Vallone/Carlos Asciutti/Alê Fortunato/Edgard Amaral (Gol/T2.0) – a 15 voltas
6º – 66-Jorge Alberto Machado/Luc Monteiro (Spyder/P2) – a 16 voltas
7º – 73-José Tinoco/Pipa Cardoso (Spyder/P3) – a 17 voltas
8º – 78-Jorge Alberto Machado/Alejandro Cignetti (Spyder/P3) – a 17 voltas
9ª – 2-Edu Bernasconi/Felipe Pilli (Audi/TFL) – a 22 voltas
10º – 51-Rodrigo Pereira/Renan Casetta/João Barret (Linea/TFL) – a 22 voltas
11º – 71-Marcelo Servidone/Luís Finotti/Marcelo Fortes (Brasília/T1.6) – a 23 voltas
12º – 76-Leandro Totti/Zé Vilela (MRX/P2) – a 23 voltas
13º – 510-Marcos Paulo/Thiago Pereira/Konrad Viehman (Corsa/T1.6) – a 24 voltas
14º – 74-Sérgio Martinez/Eduardo Souza (Spyder/P3) – a 26 voltas
15º – 18-Iures Delfino/Estevão Alexandre/Rogério Dudu (Sandero/T) – a 27 voltas
16º – 22-Erick Grosso/Fernando Kfouri/Luiz Braga (Alfa Romeo 156/TFL) – a 28 voltas
17º – 118-Bruno Brunn/João Rosate (Spyder/P3) – a 32 voltas
18º – 65-E. Xavier/F. Dias/F. Morassi/M. Pina/R. Rodrigues (Puma/T1.6) – a 34 voltas
19º – 971-Ricardo Cimatti/Tadeu Jaime (Sandero/T2.0) – a 38 voltas
20º – 34-Luiz Sérgio Ferreira/Fábio Prado (Ford Courier/T2.0) – a 40 voltas
21º – 17-Leandro Guerra/Ciro Pacielli/Rodrigo Conti (Spyder/P3) – a 45 voltas
22º – 87-Amauri Rhormens/Ennio Palladini/Tiago Régis (Sandero/T2.0) – a 46 voltas
23º – 178-Ricardo Lilla/Carlos Salto/Arthur Mazzucato (Clio/T1.6) – a 63 voltas

O Ford Maverick V-8 liderou até a 17ª volta, quando abandonou por quebra

Não completaram

21 – Thiago Lourenço/Marcelo Ferraz/Fabiano Rocha (Corsa/T2.0) – a 71 voltas
84 – Dimitrius Katsouropolou/Denis Perenyi/Ernest Perenyi (Renault Clio/T1.6) – a 76 voltas
16 – Kid Aranha/Luiz Fernando Baptista (Maverick/TFL) – a 100 voltas
91 – Hugo Doria (Gol/T1.6) – a 105 voltas
0 – Marcelo Coelho/Caio Dias (Fusca/T2.0) – a 108 voltas
12  -Mauro Kern/Humberto Guerra Jr. (MCR/P3) – a 110 voltas
77 – Edras Soares/Esdras Soares/Juarez Soares (Vectra/TFL) – a 110 voltas
122 – Georges “Gregão” Lemonias/Ricardo Santos/Pedro Gomes (Opala/TFL) – a 116 voltas

Fonte: LetraNova Comunicação I Imagens: Divulgação e UMotor I Fábio Ometto