Brasil fabricou mais de um milhão de motocicletas até novembro

Mercado nacional apresenta média de 4.419 vendas por dia útil, afirma Abraciclo. Negócios com scooters bateram recorde, atingindo 88.868 unidades até novembro

Brasil fabricou mais de um milhão de motos até novembro

A produção de motocicletas manteve a curva ascendente entre janeiro e novembro, com as fabricantes instaladas no Polo Industrial de Manaus (PIM) totalizando 1.038.696 unidades, volume 7,2% superior às 968.976 unidades fabricadas no mesmo período de 2018. Os dados foram divulgados hoje pela Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares, a Abraciclo.

O resultado confirma as projeções da própria entidade, que prevê a fabricação de 1.105.000 unidades em 2019, o que corresponde a uma alta de 6,6% na comparação com o volume alcançado em 2018 (1.036.788 unidades).

Somente em novembro, saíram das linhas de montagem do Polo de Industrial de Manaus 93.128 motocicletas, correspondendo a uma alta de 3,4% em relação ao mesmo mês do ano passado (90.108 unidades). No entanto, na comparação com outubro do presente ano (109.118 unidades), houve um recuo de 14,7%.

De janeiro a novembro, as vendas de motocicletas no atacado, ou seja, das fabricantes para as concessionárias, totalizaram 1.012.967 unidades, significando um crescimento de 13,7% ante as 890.737 unidades registradas no mesmo período de 2018.

Apenas em novembro, as vendas no atacado somaram 94.358 unidades, correspondendo a um aumento de 8,3% em relação ao mesmo mês de 2018 (87.136 unidades), mas com recuo de 8% na comparação com outubro do presente ano (102.545 unidades).

Honda PCX 150 é o scooter mais vendido no mercado nacional

No acumulado até novembro, com 503.138 unidades e 49,7% de participação, a categoria mais vendida foi a Street. Na sequência, vieram Trail (201.600 unidades e 19,9% de participação), Motoneta (151.983 e 15%), Scooter (88.868 e 8,8%) e Naked (23.379 e 2,3%). Em relação às scooters, no mesmo período do ano passado as vendas tinham chegado a 62.070 unidades, com 7% de participação sobre o total.

As posições foram mantidas no ranking específico de novembro: Street (44.560 unidades e 47,2% de participação), Trail (20.051 e 21,2%), Motoneta (13.203 e 14%), Scooter (9.964 e 10,6%) e Naked (2.281 e 2,4%).

Para Hilário Kobayashi, 1º vice-presidente da Abraciclo, o aumento da produção de motocicletas no Polo Industrial de Manaus (PIM), que movimenta cerca de 98% do mercado nacional, se deve à maior oferta de crédito, tanto pelos bancos de grande porte quanto os das próprias montadoras, assim como, mais recentemente, pelos chamados bancos digitais. Ainda segundo o executivo, outro fator que tem contribuído para a evolução dos negócios é a modernização das motocicletas com novas tecnologias e design mais atrativo.

Fonte: Abraciclo I Imagens: Agência Brasil e Divulgação