Kawasaki H2 SX SE+: o bólido de 210 cv configurado pelo celular

Modelo 2020 traz motor supercharged, suspensão eletrônica, freios mais eficientes e o aplicativo “Rideology”, que permite acessar funções da moto, mesmo à distância

Kawasaki H2 SX SE+: o bólido de 210 cv configurado pelo celular

A nova Kawasaki Ninja H2 SX SE+ está chegando às concessionárias brasileiras para complementar a gama sport-touring (turismo esporte) da marca japonesa no país. Evoluída do modelo H2 SX SE, lançado no mercado brasileiro em meados do ano passado, ela traz o motor supercharged de 998 cm³, que alcança potência máxima de 210 cv, e transmissão equipada com tecnologias de engate rápido “dog-ring e de troca rápida quick shifter bidirecional, que dispensam o uso da embreagem. Fora isso, inclui faróis auxiliares de LED direcionais instalados nas laterais da carenagem; painel colorido TFT customizável e itens de conveniência como Electronic Cruise Control (piloto automático) e aquecedor de manoplas.

O “plus” (+) que diferencia a nova configuração vem da adição de itens que tornam esse modelo o mais avançado da linha, tais como a suspensão eletrônica de última geração Kecs (Kawasaki Electronic Control Suspension), controles de largada e de tração, quatro diferentes modos de pilotagem e as novas pinças de freio Stylemma, fornecidas pela Brembo.

Kawasaki Ninja H2 SX SE+ 2020

Além disso, o modelo passa a contar com a opção de conectividade por meio do aplicativo “Rideology The App” (disponível para iOS e Android), que possibilita que o condutor defina todas as configurações da motocicleta direto do celular, tais como modos de condução, freio motor, suspensões, modos de potência e controle de tração. O aplicativo também permite registrar as rotas e todas as informações da viagem (aceleração, frenagem, marchas utilizados, rotações e temperatura do motor) para consulta posterior e, ainda, acessar à distância, pelo próprio smartphone, os dados técnicos e de desempenho armazenados.

ad

A nova Kawasaki Ninja H2 SX SE+ estará disponível ao consumidor a partir de 1º de dezembro, com preço sugerido de R$ 139.990 (sem frete).

Kawasaki Ninja H2 SX SE+ 2020

O design “sport touring supercharged” da Ninja H2 SX SE+ exibe linhas inclinadas que sugerem alta velocidade, combinadas com toques de classe e atenção refinada aos detalhes. As janelas da carenagem permitem a apreciar a visão do motor superalimentado, além extraírem o calor vindo dele, preservando o conforto dos ocupantes.

A posição de pilotagem foi idealizada para uma condução esportiva, mas confortável, seja em trechos urbanos ou rodoviários. Com isso, o motociclista não necessita ficar com o tronco tão projetado para a frente quanto na Ninja ZX-14R, por exemplo, desfrutando de uma postura mais relaxada para cotovelos e joelhos. Ao mesmo tempo, graças à maior proteção contra o vento da nova carenagem, é possível pilotar em posição mais ereta, mesmo em altas velocidades.

Kawasaki Ninja H2 SX SE+ 2020

Do farol à lanterna traseira, todas as lâmpadas do modelo, incluindo a da placa, são de LED. O conjunto de três luzes direcionais embutidas frontalmente de cada lado da carenagem, na altura do paralama dianteiro, elevam a visibilidade noturna na estrada em trechos de curva. Cada uma delas tem direção fixa e é ativada conforme o ângulo de inclinação da moto, de forma independente e ordenada, ampliando o facho mais na direção apontada pelo condutor.

A pintura exclusiva combina as cores Metallic Graphite Gray/Metallic Diablo Black/Emerald Blazed Green (cinza metálico/preto metálico/verde cítrico), e mescla acabamentos brilhante e fosco. Uma novidade trazida pela Ninja H2 SX SE+ é a camada de tinta especial que repara espontaneamente arranhões leves; em alguns casos, pode levar até mais de uma semana para a recuperação total.

Kawasaki Ninja H2 SX SE+ 2020

A Ninja H2 SX SE+ usa chassi em treliça de aço, com pintura em preto fosco. O porte imponente do modelo tem dimensões totais de 2.135 mm de comprimento, 775 mm de largura e 1.260 mm de altura, com distância entreeixos de 1.480 mm. A distância livre do solo mede 130 mm, enquanto assento em dois níveis tem altura de 835 mm para o piloto. Abastecida com os 19 litros de capacidade máxima do tanque de combustível, a moto tem peso total de 262 kg.

As rodas de liga leve com cinco raios duplos são montadas com pneu 120/70ZR17M/C (58W), na frente, e 190/55ZR17M/C (75W), atrás.

O conjunto de suspensões é composto por garfo telescópico invertido com 43 mm de diâmetro, na dianteira, e braço oscilante com monoamortecedor a gás e reservatório externo, na traseira. Baseado no sistema que estreou na Ninja ZX-10R SE, o Kecs (Kawasaki Electronic Control Suspension) adiciona amortecimento controlado eletronicamente em ambas as rodas. O sistema semi-ativo adapta, em tempo real, a atuação do garfo e do amortecedor traseiro às condições do trajeto e de pilotagem, levando em conta, entre outros parâmetros, a velocidade da motocicleta e as variações do curso da suspensão. A desaceleração também é considerada, permitindo que a transferência de peso entre os eixos na frenagem seja compensada. O padrão de amortecimento é definido de acordo com o modo de condução integrado escolhido pelo motociclista entre os cinco disponíveis – conforme descrito entre os detalhes da motorização, mais adiante.

Kawasaki Ninja H2 SX SE+ 2020

Sensores integrados nos dois componentes (garfo e amortecedor) captam dados de velocidade e compressão do curso em tempo real, e enviam essas informações à central eletrônica ECU a cada milésimo de segundo. Esses dados são complementados pela central inercial IMU (que monitora a inclinação da moto, em aceleração ou desaceleração) e pela injeção eletrônica, trazendo a velocidade da motocicleta. A partir de todos esses parâmetros, o Kecs direciona a corrente elétrica para os solenoides, os quais ajustam o amortecimento, conforme a situação naquele milissegundo.

O Kecs também permite regular a pré-carga traseira de forma eletrônica e mesmo com a moto em movimento. O piloto pode escolher entre três modos de carga útil – apenas para piloto, piloto com bagagem e piloto com passageiro e bagagem – e ainda efetuar o ajuste fino em cada um deles entre dez posições possíveis (+5/-5).

Kawasaki Ninja H2 SX SE+ 2020

O sistema de freios da nova Ninja H2 usa dois discos de 320 mm de diâmetro total (e efetivo 287 mm), com pinças de montagem radial com 4 pistões opostos, na frente, e disco simples de 250 mm (222 mm), com pinça de dois pistões, atrás.

Para assegurar a eficiência de frenagem à altura do seu desempenho, o modelo passa a contar com as pinças monobloco Brembo Stylema. Mais compactos e leves, esses novos cálipers têm menor volume em torno dos pistões e das pastilhas de freio, o que reduz o espaço interno ocupado pelo fluido, resultando em respostas mais diretas.

Além disso, as pinças Stylema refrigeram de forma muito mais rápida, segundo a Kawasaki, graças ao aumento do fluxo de ar junto às pastilhas, maior espaço ao redor dos pistões e à abertura de ventilação da ponte central.

Kawasaki Ninja H2 SX SE+ 2020

O motor de quatro cilindros em linha e 998 cm³, equipado com injeção eletrônica independente (40 mm x 4) e sobrealimentado com supercharger (tipo de turbocompressor acionado pelo virabrequim), é o mesmo desenvolvido especialmente para a Ninja H2 SX SE. Segundo a fabricante japonesa, embora derivado do propulsor da Ninja H2 de mesmas características, foram implementadas várias mudanças para alcançar o equilíbrio entre potência e eficiência no consumo.

O resultado é um novo motor, praticamente, capaz de entregar a aceleração desejada e demandar até 25% a menos de combustível. O ponto chave para alcançar essa combinação foi otimizar a eficácia térmica do motor, aumentando a taxa de compressão para 11,2:1, além de mudanças também na câmara de combustão, no duplo comando de válvulas sobre o cabeçote (Dohc) e nos sistemas de admissão e escape.

Kawasaki Ninja H2 SX SE+ 2020

Assim, o propulsor da nova Ninja H2 SX SE+ despeja a potência brutal de 200 cv a 11.000 rpm – equivalendo à potência específica de 100 cv por litro de cilindrada -, e torque máximo de 14 kgƒm a 9.500 rpm. E quando equipado com o “Ram Air” (um duto que se estende desde a parte frontal da motocicleta até o motor, induzindo o fluxo de ar frio para o supercharger e, assim, melhorando sua eficiência), a unidade passa a disponibilizar 210 cv, na mesma rotação, conferindo à Ninja H2 SX SE+ a relação de peso/potência de apenas 1,24 kg/cv.

Kawasaki Ninja H2 SX SE+ 2020

Também a exemplo da Ninja H2, a H2 SX SE+ conta com a transmissão dotada de sistema dog-ring, o mesmo encontrado nos bólidos da MotoGP e da Fórmula 1, que substitui o sistema de anéis sincronizadores entre as engrenagens do câmbio e torna as trocas de marchas mais rápidas. As relações de transmissão foram otimizadas para o novo tipo de uso.

Associado a ele, o câmbio de seis velocidades conta ainda com sistema quick shift (troca rápida), também trazido das competições. No caso da SE+, ele permite subir e descer as marchas sem a necessidade de acionar a embreagem, que passa a ser exigida apenas para acionar a primeira marcha. Nas demais trocas, basta pressionar o pedal do câmbio para cima ou para baixo para que o engate seja efetuado, sem perdas de rotações do motor.

Kawasaki Ninja H2 SX SE+ 2020

Os modos de pilotagem integrados – que estão vinculados ao controle de tração Ktrc (Kawasaki Traction Control), ao “Modo de Potência” e ao Kecs – permitem que o condutor defina com precisão os ajustes do controle de tração, de entrega de força e da suspensão , a fim de adequar a H2 SX SE+  a uma determinada situação de pilotagem – inclusive na pista.

É possível escolher entre os programas de condução “Sport”, “Road” e “Rain”, ou modo manual “Rider”. Nesse último, cada um dos sistemas pode ser ajustado de forma independente.
O modo “Sport” permite que o piloto desfrute de mais esportividade em roteiros mais sinuosos, por exemplo. No “Road”, ele conta com uma condução confortável em várias situações, desde a cidade até a velocidade de cruzeiro nas rodovias. Já o “Rain” reforça a segurança em pisos molhados. Os modos podem ser alterados mesmo durante a pilotagem, por meio de um botão na manopla esquerda.

Kawasaki Ninja H2 SX SE+ 2020

O design sofisticado do painel da Ninja H2 SX SE+ combina o conta-giros digital com estilo analógico e uma tela colorida LCD TFT (thin-film transistor), de alta definição, onde são exibidas informações como velocímetro, indicador de marcha, nível e consumo de combustível, odômetros, ângulo de inclinação, temperaturas do motor e ambiente, indicador de condução econômica, modo de pilotagem, relógio e conexão com o smartphone. O piloto pode selecionar entre quatro modos de exibição, que priorizam as informações dependendo do tipo de pilotagem.

A cor de fundo também é selecionável (preto ou branco) e o brilho da tela é ajustado automaticamente para se adequar à luminosidade local. Além das janelas com barra de rolagem, dois modos de exibição oferecem opções de apresentação das informações. Todos os comandos estão posicionados de forma a facilitar o acionamento ao alcance das mãos.

Kawasaki Ninja H2 SX SE+ 2020

O painel de instrumentos também traz embutido um chip Bluetooth, que permite a conectividade da motocicleta ao smartphone, sem cabos. Usando o aplicativo “Rideology”, várias funções do painel podem ser acessadas pelo telefone móvel, tais como informações do veículo (medidor de combustível, odômetro, cronograma de manutenção etc.); registro de pilotagem (rota do GPS e dados de funcionamento da motocicleta) que podem ser registrados e visualizados no smartphone; avisos do telefone (indicando no painel da moto o recebimento de chamada ou mensagem); e, ainda, a possibilidade de ajustar pelo smartphone as configurações de exibição do painel (como unidades preferidas, data, formato de data etc.).

Registros detalhados de pilotagem, incluindo informações de GPS e sobre a motocicleta, podem ser gravados. Com a moto em movimento, o aplicativo rastreia a velocidade do veículo, rotações, posição de marcha, posição do acelerador, pressão do fluido de freio dianteiro, aceleração/desaceleração, quilometragem atual, temperatura do líquido de arrefecimento a cada momento. Uma vez que o registro de pilotagem tenha sido salvo, o piloto pode revisar esses itens em uma exibição de estilo gráfico em qualquer ponto ao longo da rota.

Kawasaki Ninja H2 SX SE+ 2020

Fora isso, quando o motor estiver desligado, as informações mais recentes sobre o veículo serão armazenadas pelo aplicativo e poderão, também, ser visualizadas no smartphone. Uma função do aplicativo permite que o relógio no visor do painel seja atualizado automaticamente quando a moto e o smartphone estiverem conectados.

Fonte: Kawasaki Brasil I Imagens: Divulgação