Táxi aéreo da Volocopter faz voo autônomo em aeroporto

Veículo movido por motores elétricos decola e pousa na vertical, e alcança até 110 km/h. Capaz de transportar duas pessoas, pode operar com ou sem piloto

Táxi-aéreo da Volocopter faz voo autônomo em aeroporto [Divulgação]

Pioneira no desenvolvimento de táxis aéreos elétricos que decolam e aterrissam verticalmente – tipo de veículo conhecido pela sigla eVtol, em inglês -, a startup alemã Volocopter divulgou hoje o vídeo do seu primeiro teste de decolagem e aterrissagem vertical em um espaço compartilhado com outras aeronaves comerciais de passageiros.

A experiência com o chamado Volocity aconteceu no aeroporto internacional de Helsinque, na Finlândia. Para garantir a máxima segurança, o voo foi realizado com piloto a bordo e estava integrado ao sistema de Gerenciamento de Tráfego Aéreo (ATM, na sigla em inglês) – tudo a fim de evitar possíveis problemas. Veja como foi:

Em 2011, a empresa foi a pioneira em realizar o voo tripulado de um multicóptero puramente elétrico para dois lugares. Desde então, foram feitas diversas exibições públicas, com destaque para o voo autônomo em Dubai.

Ad

Construído com base na tecnologia dos drones, o Volocity é impulsionado por 18 motores elétricos com hélices de duas lâminas, e tem capacidade para transportar até duas pessoas. A velocidade máxima atingida pelo veículo no ar é de 110 km/h. De acordo com a startup, o veículo conta com 100 microprocessadores, capazes de garantir controle e estabilidade, mesmo quando estiver voando de forma autônoma – ou seja, sem piloto a bordo.

Volocity [Divulgação}

O sistema de troca de baterias criado pela Volocopter permite que o veículo seja reabastecido rapidamente com uma nova bateria totalmente carregada e revisada depois de cada aterrissagem, e fique pronto para decolar novamente em questão de minutos.

Outra característica importante é que, pelo fato de todos os motores operarem acusticamente dentro de uma banda de frequência bastante restrita, o ruído emitido por eles soa como o de apenas um rotor.

Volocity [Divulgação]

A expectativa da Volocopter – que tem entre seus investidores o Grupo Daimler, proprietário da Mercedes-Benz, e Intel, gigante da área de tecnologia – é que no futuro seja possível oferecer esse tipo de serviço a preços acessíveis, adicionando-o às atuais opções de transporte pessoal disponíveis nas megacidades, em todo o mundo.

Para isso, a empresa coopera com parceiros com liderança em infraestrutura, operações e gerenciamento de tráfego aéreo com a finalidade de construir o ecossistema necessário para tornar a Mobilidade Urbana Aérea uma realidade.

Projeção do Voloport em Cingapura [Divulgação]

Um espaço com salas para futuros passageiros e lugares para manutenção e troca de baterias, chamado de Voloport, também está sendo desenvolvido pela Volocopter em parceria com a Skyports, startup britânica voltada à criação deste tipo de instalação. O primeiro Voloport do mundo está sendo construído em Cingapura e deve entrar em operação já no próximo dia 21 de outubro.

Fontes: Volocopter e Abag