Pneus Pirelli para clássicos da Porsche no Brasil

Linha Collezione é oferecida sob encomenda pelas concessionárias Stuttgart, de São Paulo, e atende diversos modelos produzidos de 1948 a 2004

Pneus Pirelli para clássicos da Porsche no Brasil [Divulgação]

Consagrados pela esportividade e elegância, os carros da Porsche têm outra característica lendária: a confiabilidade. Segundo a marca, cerca de 70% de todos os seus esportivos já fabricados ainda rodam com regularidade em todo o mundo. Por essa razão, a Porsche oferece uma gama de serviços e peças de reposição para modelos clássicos.

No Brasil, as oito concessionárias Stuttgart Porsche comercializam a linha de pneus Pirelli Collezione voltada aos modelos antigos da Porsche. Devido à demanda reduzida, os pneus para Porsche clássicos são fabricados em lotes, não tendo produção em série. Por isso, são vendidos por encomenda, com prazo de entrega entre três e seis semanas.

Porsche 911, 356 e Boxster [Divulgação]

A linha Collezione combina a aparência dos originais com as tecnologias de construção e matérias-primas atuais, seguindo padrões de perfis, dimensões e índices de seção transversal autênticos.

No caso da Porsche, os clássicos atendidos pela linha Collezione são o primogênito Porsche 356, mais precisamente os das séries B e C, fabricados entre 1959 e 1964; o emblemático 911, em suas primeiras gerações 901, G, 964, 993 e 996; para os esportivos com motor dianteiro 924, 944, 968 e 928; e para modelos de motor central como o 914 e o Boxster da primeira geração 986, fabricado de 1997 a 2004.

Os pilotos de testes Walter Rohrl e Dieter Röscheisen [Divulgação]

A lista de pneus aprovados para carros clássicos foi definida depois de testes rigorosos feitos durante várias semanas pela própria Porsche. Entre eles estão dois renomados pilotos de testes da fábrica: Walter Rohrl, ex-campeão mundial de rali (1980 e 1982), e Dieter Röscheisen, especialista em pneus. Nos testes de pista mais recentes, foram usados carros como um 356, um 911 Carrera, um 911 Turbo (ambos da geração “G”, de 1974 a 1989) e um Boxster.

Porsche 911 Carrera [Divulgação]

De acordo com a marca, colocar em um modelo antigo um jogo de pneus com base apenas em suas dimensões permite utilizar o carro sem maiores problemas em baixas velocidades. Mas a dirigibilidade em estradas, a adequação à pura condução esportiva e a segurança seriam muito inferiores, em especial com piso molhado.

Com os testes de pista, a Porsche assegura que seus modelos mais antigos possam rodar com pneus feitos sob medida. Isso significa um ganho na dirigibilidade e segurança, com maior aderência em piso molhado e distâncias de frenagem menores.

Linha Pirelli Collezione [Divulgação]

As aprovações são atualizadas a cada dois anos e documentadas pela marca “N” na lateral do pneu. Há décadas, os pneus desenvolvidos especialmente para a Porsche ostentam a marca “N” no flanco, sempre em combinação com um número (N0, N1, N2, etc).

O número após o “N” é usado exclusivamente para diferenciar as séries de aprovação. Exemplo: a primeira versão de um pneu com a dimensão 195/65 R 15 foi aprovada com a marca N0 para os 911 Carrera na década de 1970.

Porsche 356 [Divulgação]

Quando uma nova série é projetada e aprovada para produção como peça de reposição, o pneu recebe o próximo número superior (neste caso, 1) para diferenciá-lo da série anterior. Determinados automóveis podem ter até sete recomendações, dependendo dos tamanhos dos aros. 

Além de pneus clássicos para uso em estrada normal, a Porsche desenvolveu pneus especiais para uso em veículos esportivos históricos. 

Porsche Boxster [Divulgação]

Os ensaios medem com precisão o comportamento dos pneus até o limite. Do movimento inicial de direção até a saída da curva, tudo é analisado e registrado para cada conjunto de pneus. Nenhuma perda de aderência pode ser detectada.

Tempos de volta precisamente determinados são usados para fins comparativos. Para obter uma boa avaliação, um pneu deve entregar bom desempenho no limite, de maneira previsível e equilibrada.