Honda CG 125 diz adeus, após 42 anos de produção

Primeiro produto da marca feito no Brasil, veterana foi o veículo nacional mais vendido por duas décadas. Obrigatoriedade do ABS ou CBS determinou aposentadoria

Honda CG 125 diz adeus, após 42 anos de produção {Divulgação]

A Honda Motos da Amazônia comunicou hoje o fim da produção de seu modelo mais emblemático, a CG 125. A motocicleta foi o primeiro veículo a ser fabricado pela marca japonesa no país e inaugurou sua linha de produção no Polo Industrial de Manaus, em 1976. Até 2004, quando foi lançada a versão de 160 cm³ de cilindrada, a Honda CG 125 foi o veículo automotor mais vendido do mercado nacional, entre todas as categorias.

Honda CG 125 2018 [Divulgação]

De acordo com a montadora, a decisão de encerrar a produção do modelo foi tomada em função da Resolução nº 509 do Contran (Conselho Nacional de Trânsito), de 27 de novembro de 2014.

A norma determina que, após um escalonamento anual de adequação do portfólio das marcas, a partir de 2019, 100% das motocicletas novas, fabricadas no país ou importadas, tenham de ser equipadas com o sistema ABS, que evita o bloqueio das rodas nas frenagens, ou CBS (Sistema de Frenagem Combinada), o qual divide a pressão exercida no freio dianteiro com o traseiro, impedindo o travamento da roda da frente.

Honda CG 125 2018 [Divulgação]

A Honda justifica que, se a CG 125 incorporasse esses novos itens de segurança, seu custo final seria equiparado ao de motos mais potentes, perdendo seu tradicional argumento de vendas que é o do custo-benefício. As unidades que ainda estão em estoque nas concessionárias são encontradas com o preço de R$ 7.161, para a CG 125i Fan, e de R$ 7.165, para a CG 125i Cargo.

Analogicamente, é o mesmo motivo que levou a Volkswagen a aposentar a Kombi em 2014, após 57 anos de produção ininterrupta, quando a legislação passou a obrigar a inclusão de freios com ABS e airbags em todos os automóveis e comerciais leves 0 Km vendidos no país.

Além disso, a CG já vinha perdendo mercado para as scooters de mesma cilindrada ou inferior. Em 2018, ela foi apenas a 7ª motocicleta mais vendida no Brasil, 28.401 unidades emplacadas. Realidade bastante diferente das primeiras duas décadas de produção, quando foi o veículo mais vendido no mercado nacional, perdendo o posto para a CG 150 Titan, lançada em 2004 – e substituída pela CG 160 em 2016.

Honda CG 125 1976 [Divulgação]

Ao longo de seus 42 anos de produção, a Honda CG 125 teve mais de 7 milhões de unidades fabricadas. Em termos de longevidade, ela só perde para a VW Kombi, fabricada no Brasil por 60 anos initerruptos (1953 a 2013), com quase 2 milhões de unidades produzidas, e o VW Fusca, que totaliza 41 anos, somados seus dois períodos de produção (1959-1986 e 1993-1996), com 3,3 milhões de exemplares.

Atualmente, o segundo modelo mais vendido do país é o VW Gol, lançado em 1981, que acumula cerca de 6,6 milhões de unidades. E como continua em produção, tem todas a condições de ultrapassar o modelo de duas rodas nos próximos anos. Mas no segmento de motocicletas, dificilmente outro modelo superará os números e o sucesso alcançados pela CG 125 em suas quatro décadas de vida.