Produção de motos cresce pelo quarto mês consecutivo em abril

No primeiro quadrimestre saíram das linhas de montagem 347.959 veículos, 17,6% acima do período em 2017

As montadoras de motocicletas instaladas em Manaus têm motivos para comemorar o balanço sobre o primeiro quadrimestre de 2018. Os dados divulgados hoje (11) pela Abraciclo, entidade que representa a indústria nacional do setor, mostram que o volume de produção vem se recuperando gradativamente da crise econômica dos últimos anos. Nos primeiros quatro meses deste ano, saíram das linhas de produção 347.959 motocicletas, um avanço de 17,6% sobre mesmo período do ano passado (295.761). Segundo a Abraciclo, a projeção é de um crescimento de 5,9% no acumulado de janeiro a dezembro deste ano.

O resultado do mês abril também foi positivo na comparação com 2017, com 88.422 unidades produzidas (contra 64.380), alta de 37,3%; no entanto, houve recuo de 6,5% (94.599), em comparação com março deste ano.

Boas vendas também

O desempenho de vendas para o atacado também foi positivo. Em abril foram repassadas às concessionárias 78.536 unidades, alta de 28% na comparação com o mesmo mês de 2017 (61.342), mas um recuo de 10% sobre março (87.243). Já no acumulado dos quatro primeiros meses houve aumento de 12,8%, sendo 312.539 unidades de janeiro a abril deste ano e 277.160 em igual período do ano passado.

Entre as categorias mais comercializadas em abril, destaque para Street – onde se encontra a linha Honda CG,  – que aparece no topo do ranking com 48,9% de participação (38.410), seguida da Trail, com 23,2% (18.185) e da Motoneta, 14,1% (11.098). Depois vem o Scooter, com 7,2% (5.685), e a Naked, com 2,4% (1.857).

As vendas ao consumidor final totalizaram 82.118 unidades em abril, aumento de 26,4% sobre o mesmo mês do ano (64.961) e de 3,5% sobre março (79.320). Já no comparativo do acumulado de janeiro a abril, a alta foi de 9,2%, com 301.422 unidades emplacadas em 2018, contra 275.931 em 2017.

Em relação às exportações de motocicletas em abril, foi registrada alta de 75,4% sobre o mesmo mês de 2017. A Argentina liderou o ranking com 77,6% de participação, seguida dos Estados Unidos, com 10,9%, Colômbia (4,5%), México (2,1%) e Austrália (2,1%).

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário